Mensageiro da ONU, Paulo Coelho rejeita ideia de choque de civilizações

Em entrevista (22/12) ao Centro de Notícias da ONU, o Mensageiro da Paz das Nações Unidas, Paulo Coelho, negou a existência de um choque de civilizações.

Em entrevista (22/12) ao Centro de Notícias da ONU, o Mensageiro da Paz das Nações Unidas, Paulo Coelho, negou a existência de um choque de civilizações. O renomado escritor brasileiro responsabilizou a mídia e alguns líderes políticos por tentarem difundir esta visão divisória, e afirmou que “os povos são muito mais próximos do que imaginam”.

Para Coelho, que é Conselheiro Especial para Diálogos Interculturais e Convergências Espirituais da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) e membro da “Rede de Líderes” da ONU, os esforços deveriam ser voltados para aquilo que une os povos, e não para o que os separa, e ressaltou a importância de tentar resolver conflitos e desentendimentos.

O autor falou também sobre a importância da Internet, que ele considera ser tanto “uma ponte como um campo minado”. Ele falou sobre a facilidade de entrar em contato com pessoas de várias partes do mundo através das redes sociais e fez um alerta para que as possibilidades da Internet não sejam usadas para manipular ideias. “São as mesmas ferramentas, mas com diferentes possibilidades de direcionamento e uso.”