Mensageira da Paz da ONU, queniana Wangari Maathai morre aos 71 anos

Primeira mulher africana a receber o Prêmio Nobel da Paz foi vítima de câncer. Maathai iniciou movimento que plantou 30 milhões de árvores.

Mensageira da Paz da ONU, queniana Wangari Maathai morre aos 71 anos. Foto: ONU/Mark Garten

Morreu de câncer neste domingo (25/9), em Nairóbi, capital do Quênia, a Mensageira da Paz da ONU e primeira mulher africana a receber o Prêmio Nobel da Paz, Wangari Maathai, de 71 anos.

Maathai foi nomeada Mensageira da Paz da ONU em 2009, como reconhecimento ao seu “compromisso inabalável” com os direitos humanos e a democracia.

Ela foi a primeira mulher da África Oriental e Central a conquistar o grau de doutora na Universidade de Nairóbi, em 1971. Estudou também nos Estados Unidos e diversas universidades lhe concederam o título de doutora “honoris causa”. Entre suas distinções constam o Légion d’Honneur da França em 2006 e o Prêmio Nelson Mandela para a Saúde e Direitos Humanos em 2007. Este ano, a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) nomeou Maathai com Embaixadora da Boa Vontade para os Ecossistemas Florestais.

Em sua primeira visita à ONU depois de receber o Prêmio Nobel da Paz em 2004, Maathai disse que o mundo deve reconhecer que recursos naturais são limitados. Para ela, os recursos naturais deviam ser geridos de forma sustentável e partilhados igualitariamente.

Nas homenagens póstumas, o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA) enalteceu Maathai por ter sido a fundadora do Movimento Cinturão Verde, em 1977, que resultou no plantio de 30 milhões de árvores em África.

Ouça abaixo reportagem da Rádio ONU:
[audio:http://downloads.unmultimedia.org/radio/pt/ltd/mp3/2011/1109264i.mp3%5D

(Com Rádio ONU)