Meio milhão de pessoas recebem ajuda da ONU em áreas remotas do Sudão do Sul

Dos 1,8 milhão de sul-sudaneses que fugiram de suas casas por causa do conflito, que começou em meados de dezembro de 2013, mais de 1,4 milhão está deslocado no interior do país. Metade são crianças.

Chegada de suprimentos humanitários em Jiech, no Sudão do Sul. Foto: PMA/George Fominyen

Duas agências das Nações Unidas conseguiram distribuir ajuda humanitária para mais de meio milhão de pessoas, incluindo 100 mil crianças menores de cinco anos de idade, nas áreas mais remotas afetadas pelo conflito do Sudão do Sul. A missão de emergência conjunta do Programa Mundial de Alimentos (PMA) e do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) entregou alimentos, medicamentos, água, e itens de saneamento e higiene.

Com o apoio de especialistas em logística e telecomunicações, as equipes forneceram ajuda urgente via aérea para as comunidades de três estados afetados pelos conflitos: Jonglei, Upper Nile e Unity. As equipes envolvidas ficaram em cada local durante 8 a 11 dias, avaliando as necessidades específicas da região e, após a análise, solicitaram via rádio a quantidade de suprimentos necessária para cada caso.

“A iniciativa conseguiu chegar às pessoas que estavam fugindo para salvar suas vidas”, disse o representante do UNICEF no Sudão do Sul, Jonathan Veitch, nesta terça-feira (30). “Eles perderam ou deixaram tudo para trás. O alívio por alguém finalmente ter chegado para ajudá-los, e não prejudicá-los, é bem visível”, acrescentou.

Dos cerca de 1,8 milhão de sul-sudaneses que fugiram de suas casas por causa do conflito que começou em meados de dezembro de 2013, mais de 1,4 milhão está deslocado no interior do país. A maioria fugiu para áreas remotas e de difícil acesso; mais da metade são crianças.