Meio ambiente também é vítima de guerras e conflitos, diz chefe da ONU

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

Lembrando o Dia Internacional para a Prevenção da Exploração do Meio Ambiente em Tempos de Guerra e Conflito Armado, 6 de novembro, o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, ressaltou a necessidade de reconhecer que o meio ambiente também é vítima das guerras.

“Áreas da Europa ainda são afetadas por contaminação por metais pesados de munições utilizadas durante a Primeira Guerra Mundial”, disse Guterres.

Membro das forças de paz da ONU planta árvore em El Fasher, no Sudão. Foto: ONU/Albert Gonzalez Farran

Membro das forças de paz da ONU planta árvore em El Fasher, no Sudão. Foto: ONU/Albert Gonzalez Farran

Lembrando o Dia Internacional para a Prevenção da Exploração do Meio Ambiente em Tempos de Guerra e Conflito Armado, 6 de novembro, o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, ressaltou a necessidade de reconhecer que o meio ambiente também é vítima das guerras.

“Seja por confrontos ou por queda de governos, os danos causados ao meio ambiente têm consequências devastadoras à saúde e ao bem-estar das pessoas (…) não é um problema novo, mas é um que pode ainda durar décadas”, disse Guterres em sua mensagem para a data.

“Áreas da Europa ainda são afetadas por contaminação por metais pesados de munições utilizadas durante a Primeira Guerra Mundial”, completou.

Em sua mensagem, o secretário-geral também destacou a importância de um ambiente saudável para que as pessoas reconstruam suas vidas com o fim dos conflitos. Ele observou também que o gerenciamento compartilhado dos recursos naturais pode manter ou melhorar relações sociais.

Dada a importância do meio ambiente e dos recursos naturais para o desenvolvimento sustentável, o chefe da ONU pediu medidas para reduzir os danos colaterais causados pelos conflitos.

“A ONU está empenhada em proteger o meio ambiente como um pilar essencial da paz, segurança e desenvolvimento sustentável”, ressaltou.

De acordo com a ONU Meio Ambiente, os conflitos por recursos naturais estão entre os maiores desafios do mundo de hoje, com graves ameaças à segurança humana.

Além disso, pelo menos 40% de todos os conflitos armados internos nos últimos 65 anos tiveram uma importante dimensão de disputa por recursos naturais. Desde 1989, mais de 35 importantes conflitos armados foram financiados por receitas de recursos em disputa, e há temores de que, nos próximos anos, eventos climáticos extremos possam duplicar o risco de conflitos violentos.

No entanto, apesar desses riscos, há também “oportunidades significativas” que ligam o meio ambiente e a construção da paz, acrescentou a ONU Meio Ambiente.

“Não esqueçamos o poder da cooperação ambiental para impulsionar a paz e a prosperidade”, disse o diretor-executivo da ONU Meio Ambiente, Erik Solheim.


Mais notícias de:

Comente

comentários