Malauí lança plataforma para monitorar desafios de saúde pública

O Malauí tornou-se neste mês o mais novo país a lançar uma sala de situação de saúde — uma plataforma online que mostra indicadores de bem-estar, acesso aos serviços e necessidades da população, incluindo as relacionadas à epidemia de HIV. No país, cerca de 1 milhão de pessoas vivem com o vírus da AIDS atualmente. O relato é do Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS).

Criança de dois anos recebe prescrição de medicamento para tratamento contra a malária no distrito rural de Kasungu, em Malauí. Foto: UNICEF/Hubbard

Criança de dois anos recebe prescrição de medicamento para tratamento contra a malária no distrito rural de Kasungu, em Malauí. Foto: UNICEF/Hubbard

O Malauí tornou-se neste mês o mais novo país a lançar uma sala de situação de saúde — uma plataforma online que mostra indicadores de bem-estar, acesso aos serviços e necessidades da população, incluindo as relacionadas à epidemia de HIV. No país, cerca de 1 milhão de pessoas vivem com o vírus da AIDS atualmente.

A nova ferramenta do governo malauiense, lançada em 11 de abril, mostra atualizações em tempo real das estatísticas, permitindo que autoridades tomem decisões informadas sobre saúde pública.

O Programa Conjunto das Nações Unidas sobre HIV/AIDS (UNAIDS) acredita que a iniciativa vai apoiar gestores e líderes do país africano a alcançar as metas 90-90-90 da ONU — ter 90% das pessoas vivendo com HIV cientes do seu estado sorológico, garantir que 90% desses indivíduos estejam em tratamento antirretroviral e fazer com que 90% dos que recebem a terapia estejam com a carga viral indetectável.

O Malauí tem alcançado progressos na resposta à epidemia. Em 2017, o primeiro dos objetivos 90-90-90 foi alcançado pelo país africano. Das pessoas que viviam com HIV e conheciam seu estado sorológico, 71% tinham acesso ao tratamento. Entre os que utilizavam a terapia, 61% tinham a carga viral suprimida.

Entre 2010 e 2017, o número de novas infecções pelo vírus da AIDS caiu 40%. No entanto, as infecções por HIV entre mulheres jovens e adolescentes, de 15 a 24 anos, permanecem altas e representam mais de 25% dos novos casos por ano.

“A sala de situação da saúde é uma inovação importante, pois compartilha dados em tempo real para melhorar a compreensão da epidemia de HIV do país e outros desafios de saúde”, elogiou o diretor-executivo do UNAIDS, Michel Sidibé, durante o lançamento da plataforma, na capital Lilongwe.

“Isso guiará a resposta do Malauí e ajudará os profissionais a fechar lacunas, garantindo que ninguém seja deixado para trás enquanto o país estiver no caminho certo para acabar com a epidemia de AIDS até 2030.”

O presidente do país, Arthur Peter Mutharika, afirmou no evento que “a sala de situação de saúde é uma demonstração do compromisso do meu governo com a responsabilização e transparência”. “Meu desejo é que esta ferramenta nos aponte onde focar para melhorar nossa busca por um país mais saudável”, disse o chefe de Estado.


Comente

comentários