Líbia: ONU pede que direitos humanos sejam respeitados

As Nações Unidas exortaram todas as partes em conflito na Líbia a respeitarem os direitos humanos e a se preocuparem com a tarefa futura de reconciliação nacional. “A revolução na Líbia é baseada na luta por direitos humanos e dignidade”, disse o Representante Especial do Secretário-Geral da ONU para a Líbia, Ian Martin. “Eu insisto para que todos respeitem o chamado feito pelo Conselho Nacional de Transição de que não haja vingança, mesmo contra os responsáveis por crimes de guerra e outras graves violações”.

No início desta semana, Martin visitou Misrata, cidade palco de pesados ataques durante o confronto entre as forças do novo governo e combatentes leais ao coronel Muamar Kadafi. “Eu testemunhei aqui evidência de crimes de guerra pelo governo de Kadafi”, disse Martin.

A cidade foi sitiada durante semanas por forças leais ao antigo governo e teve fontes de água e outros serviços básicos cortados. Cerca de 1,5 mil pessoas morreram, de acordo com autoridades locais.

Martin também é chefe da Missão de Apoio das Nações Unidas na Líbia (UNSMIL), autorizada em setembro pelo Conselho de Segurança.