Líbia: Missão da ONU reduz temporariamente número de funcionários em meio à insegurança

Organização apelou mais uma vez mais para que as partes “se abstenham do uso da violência para atingir objetivos políticos”.

Foto: UNSMIL

Foto: UNSMIL

A Missão de Apoio das Nações Unidas na Líbia (UNSMIL) reduziu temporariamente o seu pessoal na semana passada por causa das condições de insegurança vigentes no país. O anúncio foi feito por meio de um comunicado em sua página oficial na internet nesta segunda-feira (14).

“As razões são puramente devido a preocupações com a segurança do pessoal”, diz a nota.

Após os últimos confrontos no domingo (13), e por ocasião do fechamento do Aeroporto Internacional de Trípoli, a Missão concluiu que não seria possível continuar o seu trabalho no fornecimento de aconselhamento e apoio técnico e, ao mesmo tempo, garantir a segurança de seu pessoal, bem como a sua liberdade de movimento.

A Missão informou também que a medida é temporária. “A equipe vai voltar assim que as condições de segurança permitirem”, disse a nota, acrescentando que as Nações Unidas, “que estavam junto ao povo líbio em sua revolução”, em 2011, “não vai abandoná-los à medida que buscam construir um Estado democrático”.

A ONU disse que vai continuar trabalhando com os seus parceiros na Líbia e espera voltar a Trípoli “o mais rápido possível”.

A Missão apelou mais uma vez mais para as forças políticas líbias e para os grupos armados para que “se abstenham do uso da violência para atingir objetivos políticos” e reafirmou a necessidade de um “diálogo político como um meio para alcançar um consenso nacional sobre as prioridades para a construção de instituições estatais fundamentadas no Estado de Direito”.