Lavar as mãos com sabão não está entre as possibilidades de bilhões de pessoas no mundo

Lavar as mãos com sabão, quando feito corretamente, é fundamental na luta contra a doença provocada pelo novo coronavírus (COVID-19), mas bilhões de pessoas não têm acesso imediato a um lugar para lavar as mãos, disse o Fundo das Nações Unidas para a Infância na sexta-feira (13). No total, apenas três em cada cinco pessoas em todo o mundo têm instalações básicas para lavar as mãos, de acordo com os dados mais recentes.

À medida que a pandemia continua a se espalhar, o UNICEF está lembrando o público a importância de se lavar as mãos como uma medida-chave de prevenção contra a COVID-19 e instando esforços renovados para fornecer acesso a essas intervenções básicas de saúde pública em todo o mundo.

Lavar as mãos com sabão, quando feito corretamente, é fundamental na luta contra a doença provocada pelo novo coronavírus (COVID-19). Foto: UNICEF

Lavar as mãos com sabão, quando feito corretamente, é fundamental na luta contra a doença provocada pelo novo coronavírus (COVID-19). Foto: UNICEF

Lavar as mãos com sabão, quando feito corretamente, é fundamental na luta contra a doença provocada pelo novo coronavírus (COVID-19), mas bilhões de pessoas não têm acesso imediato a um lugar para lavar as mãos, disse o Fundo das Nações Unidas para a Infância na sexta-feira (13). No total, apenas três em cada cinco pessoas em todo o mundo têm instalações básicas para lavar as mãos, de acordo com os dados mais recentes.

À medida que a pandemia continua a se espalhar, o UNICEF está lembrando o público a importância de se lavar as mãos como uma medida-chave de prevenção contra a COVID-19 e instando esforços renovados para fornecer acesso a essas intervenções básicas de saúde pública em todo o mundo.

“Lavar as mãos com sabão é uma das coisas mais baratas e eficazes que você pode fazer para proteger você mesmo e os outros contra o coronavírus, bem como contra muitas outras doenças infecciosas. No entanto, para bilhões, mesmo as medidas mais básicas estão simplesmente fora de alcance”, disse Sanjay Wijesekera, diretor de Programas do UNICEF.

“Está longe de ser uma ‘bala mágica’. Mas é importante garantir que as pessoas saibam quais medidas devem ser tomadas para manter a si e suas famílias seguras, mesmo que continuemos nossos esforços de longa data para disponibilizar higiene e saneamento básico a todos”.

Em muitas partes do mundo, crianças, pais, professores, profissionais de saúde e outros membros da comunidade não têm acesso a instalações básicas para lavar as mãos em casa, em instalações de saúde, escolas ou em outros lugares.

De acordo com as estimativas mais recentes:

40% da população mundial, ou 3 bilhões de pessoas, não tem lavatório com água e sabão em casa. Quase três quartos das pessoas nos países menos desenvolvidos não têm instalações básicas para lavar as mãos em casa.
47% das escolas careciam de um lavatório com água e sabão, afetando 900 milhões de crianças em idade escolar. Mais de um terço das escolas em todo o mundo e metade das escolas nos países menos desenvolvidos não têm lugar para as crianças lavarem as mãos.
16% dos estabelecimentos de saúde, ou cerca de um em cada seis, não tinham banheiros funcionais ou instalações para lavar as mãos nos pontos de atendimento onde os pacientes são tratados.

As populações urbanas estão particularmente em risco de infecções respiratórias virais devido à densidade populacional e a reuniões públicas mais frequentes em espaços lotados, como mercados, transporte público ou locais de culto religioso. As pessoas que vivem em favelas urbanas pobres – a pior forma de assentamento informal – estão particularmente em risco. Como resultado, lavar as mãos se torna ainda mais importante.

Ainda hoje:

Na África ao sul do Saara, 63% da população nas áreas urbanas, ou 258 milhões de pessoas, não têm acesso à lavagem das mãos. Cerca de 47% dos sul-africanos urbanos, por exemplo, ou 18 milhões de pessoas, carecem de instalações básicas para lavar as mãos em casa, tendo os moradores urbanos mais rico quase 12 vezes mais chances de ter acesso às instalações para lavar as mãos.

Na Ásia Central e Meridional, 22% da população nas áreas urbanas, ou 153 milhões de pessoas, não têm acesso à lavagem das mãos. Por exemplo, quase 50% dos bengaleses urbanos – ou 29 milhões de pessoas – e 20% dos indianos urbanos – ou 91 milhões de pessoas – carecem de instalações básicas para lavar as mãos em casa.

No Leste da Ásia, 28% dos indonésios urbanos, ou 41 milhões de pessoas, e 15% dos filipinos urbanos, ou 7 milhões de pessoas, carecem de instalações básicas para lavar mãos em casa.
Lavar as mãos também é essencial para proteger os profissionais de saúde contra infecções e impedir a propagação do COVID-19 e outras infecções nos estabelecimentos de saúde. Como a resposta do coronavírus cobra seu preço dos serviços de saúde nos países afetados, a prática de lavar as mãos com sabão é ainda mais importante para afastar doenças respiratórias e diarreicas comuns.

O UNICEF trabalha em todo o mundo para garantir que as crianças e seus pais tenham acesso a instalações apropriadas para lavar as mãos. Além disso, o UNICEF promove a lavagem das mãos em mais de 90 países, trabalhando com governos para desenvolver políticas, estratégias e planos de ação.

Também apoiamos campanhas nacionais de lavagem das mãos, inclusive pelos meios de comunicação de massa, por meio do trabalho com profissionais da saúde e da assistência social para garantir que promovam a lavagem das mãos e por meio do trabalho com escolas e professores para ensinar às crianças a importância de ser lavar as mãos.

Como parte de sua resposta ao coronavírus, o UNICEF também está lembrando ao público a melhor maneira de lavar as mãos adequadamente:

Molhe as mãos e os pulsos com água corrente
Aplique sabão suficiente para cobrir as mãos e os pulsos molhados
Esfregue todas as superfícies, incluindo as costas das mãos, entre os dedos e as unhas, por pelo menos 20 segundos
Enxágue abundantemente com água corrente
Seque as mãos com um pano limpo ou toalha de uso individual