Laurent Ggagbo é levado a tribunal para responder às acusações de crime contra a humanidade

Ex-Presidente da Costa do Marfim chegou nesta quarta-feira (30/11) ao Tribunal Penal Internacional. Ele é acusado de cometer crimes durante período pós-eleitoral no país.

Laurent GbagboO ex-Presidente da Costa do Marfim, Laurent Gbagbo, chegou hoje (30/11) ao Tribunal Penal Internacional (TPI) para responder às acusações de crimes contra a humanidade cometidos durante os conflitos pós-eleitorais, há um ano. Ele foi entregue ao Tribunal nesta terça-feira (29) por autoridades marfinenses e, de acordo com o TPI, sua primeira aparição perante o juíz será feita em breve.

Ggagbo é acusado de ser “co-autor indireto” de quatro crimes contra a humanidade, como assassinato, estupro e outras formas de violência sexual, perseguição e outros atos desumanos cometidos entre dezembro de 2010 e abril de 2011.

Segundo fontes citadas pela promotoria, ao menos três mil pessoas foram mortas, 72 desapareceram e outras 520 foram submetidas a prisão arbitrária e detenções durante o período de violência pós-eleitoral.

“As vítimas marfinenses verão a justiça para os crimes em massa. Ggagbo é o primeiro a ser levado à justiça”, afirmou o Promotor do TPI, Luis Moreno-Ocampo. Ele disse que o período foi um dos “piores episódios de violência que a Costa do Marfim já enfrentou” e observou que há evidências de que os atos violentos não foram cometidos por acaso.

O Promotor disse ainda que as investigações continuarão. “Os líderes devem entender que a violência não é mais uma opção para reter ou ganhar poder”, afirmou. “O tempo da impunidade para estes crimes acabou.”