Lady Gaga é a curadora de evento especial em apoio a trabalhadores da saúde contra o coronavírus

A Organização Mundial da Saúde (OMS) e a organização internacional Global Citizen anunciaram o especial “One World: Together At Home” (“Um mundo: juntos em casa”) , que será transmitido ao vivo no dia 18 de abril no mundo todo em apoio à luta contra a pandemia de COVID-19. O especial terá a participação de médicos, enfermeiros e famílias relatando experiências reais de vivência da pandemia.

O evento tem curadoria de Lady Gaga e terá ainda apresentações de Alanis Morissette, Andrea Bocelli, Billie Joe Armstrong (Green Day), Eddie Vedder, Elton John, FINNEAS, Paul McCartney e Stevie Wonder, entre outros.

A OMS também anunciou que está lançando um guia para ajudar os países a decidir se recomendam o uso de máscaras médicas e não médicas para prevenir o avanço da COVID-19, já que há poucas pesquisas sobre o uso comunitário das máscaras.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) e a organização internacional Global Citizen anunciaram nesta segunda-feira (6) o especial “One World: Together At Home” (“Um mundo: juntos em casa”) , que será transmitido ao vivo no mundo todo em apoio à luta contra a pandemia de COVID-19. O especial, com participação de médicos, enfermeiros e famílias relatando experiências reais de vivência da pandemia, será transmitido no dia 18 de abril de 2020 (sábado), às 21h (horário de Brasília), nas redes e plataformas ABC, NBC, ViacomCBS Networks, iHeartMedia e Bell Media (Canadá).

O evento tem curadoria de Lady Gaga e terá ainda apresentações de Alanis Morissette, Andrea Bocelli, Billie Eilish, Billie Joe Armstrong do Green Day, Burna Boy, Chris Martin, David Beckham, Eddie Vedder, Elton John, FINNEAS, Idris e Sabrina Elba, J Balvin John Legend, Kacey Musgraves, Keith Urban, Kerry Washington, Lang Lang, Lizzo, Maluma, Paul McCartney, Priyanka Chopra Jonas, Shah Rukh Khan e Stevie Wonder.

A transmissão histórica será apresentada por Jimmy Fallon (‘The Tonight Show’), Jimmy Kimmel (Jimmy Kimmel Live’) e Stephen Colbert (‘The Late Show with Stephen Colbert’) e Amigos da Vila Sésamo, para inspirar pessoas ao redor o mundo a tomar ações significativas que aumentem o apoio à resposta global à COVID-19.

Hugh Evans, co-fundador e CEO da Global Citizen, disse que o especial é um incentivo na luta global para o fim da COVID-19. “Por meio da música, entretenimento e impacto, o elenco celebrará ao vivo aqueles que arriscam sua própria vida para proteger todos os outros.”

“A Organização Mundial da Saúde está comprometida em derrotar a pandemia do novo coronavírus com medidas científicas e de saúde pública e apoiar os profissionais de saúde que estão na linha de frente da resposta”, disse Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da OMS. “Podemos ter que nos separar fisicamente por um tempo, mas ainda podemos nos unir virtualmente para desfrutar de boa música. O concerto One World: Together At Home representa um poderoso show de solidariedade contra uma ameaça comum”.

Divulgação

Divulgação

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, reafirmou a mobilização da ONU “apoiando as respostas dos países, colocando cadeias de suprimentos à disposição do mundo e defendendo um cessar-fogo global”. “Estamos orgulhosos de unir forças para ajudar a reduzir a transmissão do vírus, minimizar os impactos socioeconômicos na comunidade global e trabalhar juntos agora para promover os Objetivos Globais para o futuro”, afirmou Guterres. “Não há maior argumento para ação coletiva do que nossa resposta conjunta ao COVID-19 – estamos nisso juntos e vamos resolver isso juntos”, declarou.

No mês passado, em resposta à pandemia global, a Global Citizen lançou uma campanha em apoio ao Fundo de Resposta à Solidariedade COVID-19 para a OMS, desenvolvido pela Fundação das Nações Unidas. Convocando os indivíduos a agir e pedindo aos líderes e corporações mundiais que apoiem a resposta com recursos suficientes, escritórios da Global Citizen em mais de 130 países ao redor do mundo adotaram dezenas de milhares de ações em apoio ao fundo de resposta.

Os recursos do Fundo de Resposta à Solidariedade COVID-19 da OMS apoiam e equipam profissionais de saúde em todo o mundo com máscaras, aventais e outros equipamentos essenciais e práticas locais que oferecem comida, abrigo e assistência médica para as pessoas que mais precisam.

Transmissão online – O especial também será transmitido virtualmente em várias plataformas: Alibaba, Amazon Prime Video, Apple, Facebook, Instagram, LiveXLive, Tencent, Tencent Music Entertainment Group, TIDAL, TuneIn, Twitch, Twitter, Yahoo e YouTube. O evento virtual incluirá artistas e performances de todo o mundo, além de histórias únicas dos heróis e heroínas da saúde no mundo. Para obter informações sobre como assistir e agir, acesse: www.globalcitizen.org/togetherathome.

A BBC One transmitirá o programa internacionalmente no dia 19 de abril de 2020. As emissoras internacionais adicionais incluem beIN Media Group, MultiChoice Group e RTE.

Máscaras – Na coletiva de imprensa em Genebra, Tedros anunciou que a OMS está lançando um guia para ajudar os países a decidir se recomendam o uso de máscaras médicas e não médicas para prevenir o avanço da COVID-19.

“Primeiro e acima de tudo, as máscaras médicas devem ser priorizadas para os trabalhadores em saúde na linha de frente da resposta”, afirmou, demonstrando preocupação com o uso massivo de máscaras médicas pela população em geral, o que poderia agravar a falta global do produto para quem mais precisa dele. “Em muitos lugares, esta escassez está colocando trabalhadores de saúde em perigo real”, alertou.

Lady Gaga é curadora do evento online para trabalhadores em saúde na luta contra o coronavírus - Foto: Organização Mundial da Saúde/OMS

Lady Gaga é curadora do evento online para trabalhadores em saúde na luta contra o coronavírus – Foto: Organização Mundial da Saúde/OMS

Em locais de atendimento em saúde, a OMS continua recomendando o uso de máscaras médicas e outros equipamentos de proteção pessoal para os profissionais em saúde. Na comunidade, é recomendado o uso de máscara médica por pessoas que estão doentes ou cuidando de doentes dentro de casa.

Ele afirmou que os países poderiam considerar o uso de máscaras em comunidades quando outras medidas – como lavar as mãos ou distanciamento social – são mais difíceis de alcançar por conta da falta de água ou condições de vida superlotadas. Se usadas, máscaras devem seguir medidas seguras sobre como colocar e retirar.

O que está claro é que há pouca pesquisa nesta área. O diretor da OMS recomendou que os países considerem o uso de máscaras para a população em geral para estudar a sua efetividade. “Com ou sem máscara, há coisas comprovadas que podemos fazer para proteger a nós e aos outros – manter distância, limpar as mãos, tossir ou espirrar no cotovelo e evitar tocar o rosto”, lembrou Tedros.