Jovens vão assumir Assembleia da ONU para pedir educação universal de qualidade

Estudante paquistanesa baleada por frequentar a escola, Malala Yousafzai vai falar sobre a importância da educação, especialmente para meninas.

Secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, conversa por Skype com a estudante paquistanesa Malala Yousafzai’s. Foto: ONU/Rick Bajornas

Centenas de jovens de mais de 80 países vão assumir a Assembleia das Nações Unidas em Nova York, Estados Unidos, na próxima sexta-feira (12), quando diplomatas terão papel secundário. Eles farão um apelo global por educação de qualidade para todos. A estudante paquistanesa Malala Yousafzai, baleada pelo Talibã por frequentar a escola, vai falar da importância da educação, especialmente para meninas.

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, destaca a importância de garantir acesso global à educação de qualidade e segurança para que as pessoas exerçam esse direito básico. “Em muitos lugares, estudantes como Malala e seus professores são ameaçados, agredidos e até mortos”, escreveu em artigo publicado pelo jornal Huffington Post. “Por meio de ações cheias de ódio, os extremistas mostram o que mais os assusta: uma menina com um livro.”

Atualmente, cerca de 57 milhões de crianças não têm acesso à escola primária e muitas delas vivem em áreas de conflito. Mais de 120 milhões de jovens entre 15 e 24 anos não sabem ler ou escrever, dificultando a entrada no mercado de trabalho. A maioria é mulher.

Ban destacou a Primeira Iniciativa da ONU para a Educação Global, um esforço para que, até o fim de 2015, todas as crianças frequentem a escola e a qualidade do ensino aumente.

“A educação é o caminho para salvar vidas, construir a paz e capacitar os jovens”, disse Ban. “Essa é a lição que Malala e milhões de pessoas como ela estão tentando ensinar ao mundo. Parceiros internacionais e os governos devem escutar e agir.”