Jovens Ticuna aprendem a usar rádio para promoção de direitos humanos no Amazonas com apoio da ONU

As oficinas seguem até o dia 13 de novembro de 2012, quando haverá a exposição de todas as peças de comunicação produzidas nos três municípios.

(UNICEF/Daniela Silva)O grupo formado por 14 jovens Ticuna das comunidades de Umariaçu I e II, no município de Tabatinga (AM), começa a partir de hoje (18) a descobrir o rádio e a boca de ferro (alto-falantes muito usado pelos indígenas) como ferramentas de promoção e disseminação de direitos humanos.

O módulo de rádio e boca de ferro integra as oficinas de comunicação promovidas pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e parceiros, incluindo a Rádio Nacional Alto Solimões, para 42 jovens das etnias Ticuna e Kokama da região do Alto Rio Solimões, no Estado do Amazonas. Participam estudantes das comunidades indígenas de Umariaçu I e II (Tabatinga), da comunidade de Nova Jordânia (São Paulo de Olivença) e de Filadélfia (Benjamin Constant).

“As oficinas estão sendo realizadas considerando a concepção da Comunicação para o Desenvolvimento (C4D), que reconhece os indivíduos como protagonistas de transformações sociais que promovam e defendam os direitos humanos, especialmente, das crianças, adolescentes e jovens, públicos mais vulneráveis”, destaca a Coordenadora do Programa de Sobrevivência & Desenvolvimento Infantil, HIV/Aids do UNICEF e responsável pelo Programa Conjunto de Segurança Alimentar e Nutricional de Mulheres e Crianças Indígenas (PCSAN) no UNICEF, Cristina Albuquerque.

As oficinas seguem até o dia 13 de novembro deste ano, quando haverá a exposição de todas as peças de comunicação produzidas nos três municípios. Após esta data, os 42 jovens Ticuna e Kokama participantes das atividades atuarão como multiplicadores, compartilhando o que aprenderam com outros estudantes indígenas da rede municipal de educação.

O PCSAN tem sido realizado, desde 2010, por cinco organismos das Nações Unidas (FAO, PNUD, OPAS/OMS, OIT e UNICEF), em parceria com o Governo Brasileiro, representado pela Fundação Nacional do Índio (Funai); Ministério da Saúde (MS); Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) e Agência Brasileira de Cooperação (ABC).