Jovens indígenas do Oiapoque, no Amapá, participam de oficina de fotografia da natureza

Com apoio do PNUD e outros parceiros, a oficina teve como objetivo ensinar as principais técnicas de fotografia, para fins de registro da biodiversidade e da vida silvestre.

Foto da oficina (via Projeto GATI)

Foto da oficina (via Projeto GATI)

Entre os dias 5 a 12 de março aconteceu na aldeia Santa Izabel, localizada na Terra Indígena Uaçá, Oiapoque, no Amapá, a Oficina de Fotografia da Natureza. A oficina teve como objetivo ensinar as principais técnicas de fotografia, para fins de registro da biodiversidade e da vida silvestre.

Participaram 22 jovens indígenas das etnias Karipuna, Galibi Marworno e Palikur, entre 14 e 27 anos, pertencentes a oito aldeias da região. O evento foi uma realização conjunta entre o Projeto GATI, o Instituto de Pesquisa e Formação Indígena (Iepé) e o Projeto Dipolopp, que atua na região fronteiriça entre o Amapá e a Guiana Francesa.

O Projeto de Gestão Ambiental e Territorial Indígena (Projeto GATI) é uma realização conjunta entre o movimento indígena brasileiro, Fundação Nacional do Índio (Funai), Ministério do Meio Ambiente (MMA), The Nature Conservancy (TNC), Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) e Fundo Mundial para o Meio Ambiente (GEF).

O renomado fotógrafo de natureza Haroldo Palo Júnior foi o convidado para ministrar a oficina, que incluiu técnicas de enquadramento e efeitos fotográficos pela manipulação da abertura do diafragma e velocidade. Os jovens participantes observaram os efeitos de luz e contraste nas suas fotografias. Eles também despertaram a sua sensibilidade para o olhar fotográfico.

Como resultado final da oficina será produzido um livro digital, organizando por Haroldo Palo Júnior, contendo as três melhores fotos de cada fotógrafo. Acesse algumas das fotografias feitas pelos jovens durante a oficina em http://bit.ly/1BpoqlH