Jovens do Brasil e da América Latina se reúnem no México para discutir mobilização comunitária

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

Cerca de 150 representantes da sociedade civil, da academia, de organismos internacionais e de governos de países da América Latina participam do seminário Juventude e Inovação Social: um diálogo sobre desenvolvimento social de base, que será realizado nesta quinta-feira (11), na Cidade do México. Jovens do Brasil estarão no evento, onde será lançada versão em espanhol de uma publicação da UNESCO sobre mobilização em favelas do Rio de Janeiro.

Elyx visita o mirante de Santa Marta. Foto: UNIC Rio/Jéssica Santos

Morro Santa Marta, no Rio de Janeiro. Foto: UNIC Rio/Jéssica Santos

Cerca de 150 representantes da sociedade civil, da academia, de organismos internacionais e de governos de países da América Latina participam do seminário Juventude e Inovação Social: um diálogo sobre desenvolvimento social de base, que será realizado nesta quinta-feira (11), na Cidade do México. Jovens do Brasil estarão no evento, onde será lançada versão em espanhol de uma publicação da UNESCO sobre mobilização em favelas do Rio de Janeiro.

Fruto de uma parceria entre os escritórios da agência da ONU no Brasil e no México, o seminário quer dar voz aos participantes, sobretudo aos jovens, para discutir experiências de mobilização comunitária e engajamento cívico. Por meio de um diálogo entre os formuladores das políticas e líderes de organizações não governamentais e movimentos sociais, o objetivo do encontro é mostrar como diferentes setores da sociedade interagem e influenciam o governo.

Participam do evento os secretários de Juventude do Brasil e do México, Assis Filho e Jose Manuel Romero, respectivamente, Raphael Vandysdadt, gerente de Projetos Sociais da TV Globo, Luana Cabral, do AfroReeggae, e René Silva, da Voz da Comunidade.

Na programação, está prevista a apresentação da versão em espanhol da publicação “Desenvolvimento social de base em favelas do Rio de Janeiro: um guia prático” (Desarrollo social de base em favelas de Río de Janeiro: un manual práctico). O documento é um manual que contém ferramentas, informações e conceitos fundamentados em evidências científicas sobre o modelo de desenvolvimento social encontrado em organizações de base.

A publicação é voltada para os interessados na elaboração de políticas públicas e em abordagens inovadoras de trabalho com instituições comunitárias no Brasil. O conteúdo também contribui para a construção de modelos globais, pois mostra como iniciativas de mobilização e desenvolvimento nas favelas, com subsídios e conhecimento das próprias pessoas da comunidade, podem ajudar na promoção de mudanças sociais.

A concepção do manual teve início no âmbito do projeto de pesquisa “Sociabilidades Subterrâneas”, cujo objetivo é explorar meios alternativos de integração e socialização desenvolvidos por comunidades em condições de extrema exclusão social. O programa também visava estudar e disseminar a metodologia de trabalho desenvolvida pelos grupos AfroReggae e Central Única das Favelas (CUFA), do Rio de Janeiro.

O projeto “Sociabilidades Subterrâneas” foi executado a partir de uma parceria entre a UNESCO no Brasil, a London School of Economics (LSE), organizações sociais de base e o setor privado.


Mais notícias de:

Comente

comentários