Jovens brasileiros participam de fórum da ONU em Nova Iorque

Quatro jovens brasileiros participarão esta semana (8 e 9) na sede das Nações Unidas, em Nova Iorque, do Fórum da Juventude do Conselho Econômico e Social da ONU (ECOSOC), no qual discutirão temas como promoção da paz e de espaços urbanos seguros.

Thânisia Cruz, do Distrito Federal, Maria Eduarda Couto, de Pernambuco, Mauricio Peixoto, de Brasília, e Caio Medina, da Bahia, participaram do Programa Embaixadores da Juventude.

A iniciativa do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) tem o objetivo de fortalecer a representação de jovens em situação de vulnerabilidade socioeconômica em espaços políticos de debate e negociação.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Quatro jovens brasileiros participarão esta semana (8 e 9) na sede das Nações Unidas, em Nova Iorque, do Fórum da Juventude do Conselho Econômico e Social da ONU (ECOSOC), no qual discutirão temas como promoção da paz e de espaços urbanos seguros.

Thânisia Cruz, do Distrito Federal, Maria Eduarda Couto, de Pernambuco, Mauricio Peixoto, de Brasília, e Caio Medina, da Bahia, participaram do Programa Embaixadores da Juventude.

A iniciativa do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC) tem o objetivo de fortalecer a representação de jovens em situação de vulnerabilidade socioeconômica em espaços políticos de debate e negociação.

Nascida em Ceilândia e ativista pelos direitos das mulheres negras e feministas, Thânisia destacou a contribuição do programa em sua formação como líder. “Como negra e jovem, reconheço que estar no fórum é uma oportunidade para impactar a região da qual faço parte, representando o trabalho em advocacy feito pelas organizações da sociedade civil e os resultados de políticas públicas de ação afirmativa”.

Mauricio, morador do Sol Nascente, disse que “participar do Fórum da Juventude, para mim — jovem, LGBT e da periferia —, é de uma representatividade muito grande”. “Levo comigo minha cidade, minha comunidade e os jovens que inspiro com meu trabalho como professor. É uma forma de mostrar aos mais novos que a realização dos sonhos é possível”, afirmou.

Os jovens também foram convidados a compor a plenária de dois eventos paralelos ao Fórum, abordando o papel da juventude na promoção da paz e de espaços urbanos seguros.

No evento “Tomando ações: juventude como campeã da paz e da segurança”, Maria Eduarda dividirá o microfone com importantes ativistas e líderes políticos, como o governador da província de Nairóbi, no Quênia.

Já na sessão “Empoderando a juventude para promover o Objetivo do Desenvolvimento Sustentável 16 [Paz, Justiça e Instituições Eficazes]”, Mauricio compartilhará sua experiência em utilizar a educação para promover a paz, junto a outros jovens de Etiópia e Afeganistão.

Sob o tema “Empoderados, Incluídos e Iguais”, o fórum reúne mais de 500 participantes, entre jovens, ativistas e representantes governamentais de todo o mundo para debater o papel da juventude na promoção dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Os resultados e discussões do fórum serão utilizados como subsídio para a tomada de decisão durante o Fórum Político de Alto-Nível do ECOSOC, direcionado a diplomatas, chefes de Estado e de governo.

Participação brasileira

Caio Medina, de 21 anos, é graduando em Farmácia pela Universidade Federal da Bahia (UFBA). Fez parte da Escola Olodum, onde participou do curso de formação de lideranças afrodescendentes.

Maria Eduarda é pernambucana e mestre em Sociologia. É também cofundadora do Projeto Compaixão, voltado para um público em vulnerabilidade social. Mauricio, de 26, é produtor cultural, professor e bailarino. É sócio fundador do Instituto do Devir Humano e Ambiental (Instituto DHAM), ONG que almeja construir, em conjunto com a comunidade, relações humanas e ambientais sustentáveis por meio de educação, cultura e espiritualidade.

Thânisia é bacharel em Letras-Francês pela Universidade de Brasília (UnB). Atua como professora na Secretaria de Educação do Distrito Federal e é membro do Coletivo Yaa Asantewaa e da Articulação Nacional de Negras Jovens Feministas.

Programa Embaixadores da Juventude

O Programa Embaixadores da Juventude foi criado em 2016 com o propósito de capacitar jovens em contextos de vulnerabilidade social na temática dos ODS. Entre as 70 pessoas já beneficiadas pelo programa, destacam-se a predominância de mulheres negras (mais de 50% de todo o grupo), participantes transexuais e quilombolas.

Thânisia e Mauricio participaram da segunda edição do curso de capacitação oferecido pelo programa, em Brasília, enquanto Maria Eduarda e Caio participaram da terceira, em Salvador (BA).

“Estar no ECOSOC é a prova de que mesmo com todas as adversidades sociais, a educação pode fazer a diferença. Estarei lá para ter uma presença representativa e forte que me faltou durante toda a minha infância e adolescência”, afirmou Caio, morador da comunidade Pela-Porco, em Salvador (BA).

Este é o quarto ano seguido em que o UNODC promove a participação de jovens brasileiros no fórum. Em 2018, Lorenna Vilas-Boas e Daniel Saraiva, também formados pelo Programa Embaixadores da Juventude, participaram da conferência e coordenaram o primeiro evento paralelo focado na América Latina, no qual se discutiu juventude e mobilidade urbana sustentável.


Comente

comentários