Jovem vítima do Estado Islâmico é nomeada embaixadora da Boa Vontade de agência da ONU

Candidata ao Prêmio Nobel da Paz, Nadia Murad Basee Taha — jovem da comunidade yazidi vítima do tráfico de pessoas promovido pelo Estado Islâmico do Iraque e Al-Sham (ISIL) —, foi nomeada, na semana passada (16), Embaixadora da Boa Vontade para a dignidade dos sobreviventes do tráfico humano do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC).

Secretário-geral da ONU reúne-se com Nadia Murad Basee Taha, uma jovem iraquiana seguidora da fé yazidi, ativista dos direitos humanos e sobrevivente de sequestro e tortura do Estado Islâmico. Foto: ONU/Eskinder Debebe (arquivo)

Secretário-geral da ONU reúne-se com Nadia Murad Basee Taha, uma jovem iraquiana seguidora da fé yazidi, ativista dos direitos humanos e sobrevivente de sequestro e tortura do Estado Islâmico. Foto: ONU/Eskinder Debebe (arquivo)

Candidata ao Prêmio Nobel da Paz, Nadia Murad Basee Taha — jovem da comunidade yazidi vítima do tráfico de pessoas promovido pelo Estado Islâmico do Iraque e Al-Sham (ISIL) —, foi nomeada, na semana passada (16), Embaixadora da Boa Vontade para a dignidade dos sobreviventes do tráfico humano do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC).

Trata-se da primeira vez que uma vítima de atrocidade dessa natureza é indicada à função.

“Nadia é um protetora feroz e incansável da comunidade yazidi e das vítimas de tráfico de seres humanos em todo o mundo”, disse o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, durante a cerimônia de posse da jovem, que foi realizada em conexão com as comemorações das Nações Unidas para o Dia Internacional da Paz.

“Ela foi submetida a violações de direitos humanos e a abusos indizíveis realizados por membros do ISIL. Nadia mostrou excepcional coragem em se pronunciar. Ela dá uma voz muito necessária às vítimas de tráfico que continuam sofrendo, e que exigem justiça”, acrescentou o dirigente máximo da ONU.

Em dezembro do ano passado, Murad participou da primeira reunião do Conselho de Segurança sobre tráfico humano. Na ocasião, ela descreveu ter sido cercada junto a outros yazidis, e testemunhado combatentes do Estado Islâmico atirando contra homens e meninos a sangue frio. Ela foi comprada e vendida várias vezes.

“Faz dois anos desde o ataque de Sinjar. É inconcebível que milhares de pessoas da comunidade yazidi, especialmente mulheres e crianças, continuem sendo mantidas em cativeiro “, disse Ban, pedindo a libertação imediata dos detidos.

“Os crimes cometidos por membros do ISIL no Iraque contra a comunidade yazidi constituem crimes de guerra, crimes contra a humanidade e até mesmo genocídio”, destacou.

Defensora incansável das vítimas, Murad foi eleita recentemente uma das “100 pessoas mais influentes de 2016” pela revista Time.

Como embaixadora da Boa Vontade do UNODC, suas ações se concentrarão em iniciativas de apoio e conscientização sobre a difícil situação de milhões de vítimas de tráfico humano, especialmente dos refugiados, mulheres e crianças.

“A nomeação de Nadia como embaixadora da Boa Vontade do UNODC proporciona uma oportunidade única para influenciar outras pessoas a se juntar a nós em nossa luta contra o tráfico de seres humanos’’, disse o diretor executivo do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC), Yury Fedotov.

“Sabemos que o extraordinário compromisso de Nadia com a situação das vítimas de tráfico fará com que mais pessoas tomem medidas contra esse crime”, concluiu Fedotov.