Jovem brasileiro é premiado em festival de vídeo da ONU

Patrick Melo foi finalista e premiado em Nova York pelo vídeo produzido para o Festival PLURAL+, das Nações Unidas. O jovem pernambucano de 20 anos registrou no curta “Brasileiro, mas não jogador de futebol” algumas angústias de pessoas que são vítimas de preconceito quando migram. Na última-quarta (13), na sede da ONU, Melo foi o único reconhecido com dois prêmios: “Vídeo” e “Prevenção da Xenofobia”.

Segundo os organizadores, em um mundo frequentemente marcado pela intolerância e por divisões culturais, o concurso busca reconhecer os jovens como agentes poderosos da mudança social, capazes de estimular o respeito à diversidade. A iniciativa é promovida pela Organização Internacional para as Migrações (OIM) e pela Aliança de Civilizações das Nações Unidas (UNAOC).

Segundo o diretor-geral da OIM, António Vitorino, “Esses jovens cineastas não permitiram que as narrativas negativas sobre migração – tão popularizadas na mídia contemporânea – os privassem de empatia”. Com crescente interesse e participação a cada ano, o PLURAL + se tornou a principal plataforma global de distribuição de mídia da ONU para jovens.

Jovem de Pernambuco foi o único a receber dois prêmios no Festival PLURAL+: "Vídeo" e "Prevenção da Xenofobia". Foto: ONU News.

Jovem de Pernambuco foi o único a receber dois prêmios no Festival PLURAL+: “Vídeo” e “Prevenção da Xenofobia”. Foto: ONU News.

O jovem pernambucano Patrick Melo foi o grande vencedor do Festival de Vídeo da Juventude PLURAL+ 2019 da ONU. O concurso de curtas-metragens é promovido pela Organização Internacional para as Migrações (OIM) e pela Aliança de Civilizações das Nações Unidas (UNAOC).

Patrick ganhou o prêmio com o filme “Brasileiro, mas não jogador de futebol”, que aborda com humor a questão de estereótipos contra pessoas de diferentes cidades, países e culturas.

Entre os 25 jovens premiados em Nova York, Melo foi o único reconhecido nas categorias de Prevenção à Xenofobia e de Vídeo da ONU.

Juventude engajada

25 jovens de diferentes regiões do mundo participaram da cerimônia de premiação do Festival de Vídeo do PLURAL+. Foto: ONU News.

25 jovens de diferentes regiões do mundo participaram da cerimônia de premiação do Festival de Vídeo do PLURAL+. Foto: ONU News.

Na última quarta-feira (13), a sede das Nações Unidas em Nova York recebeu jovens de diversas partes do mundo para a cerimônia de premiação do Festival de Vídeo da Juventude PLURAL+ 2019. Os vencedores foram anunciados pelo representante da UNAOC, Miguel Ángel Moratinos e o diretor-geral da OIM, António Vitorino.

Selecionados por abordarem temas como migração, diversidade e inclusão social, os vídeos vencedores foram escolhidos entre mais de 1.200 inscrições de quase 70 países – um número recorde de candidaturas para o festival.

“O PLURAL+ fornece um espaço para os jovens expressarem livremente suas visões sobre questões sociais urgentes”, disse o representante da UNAOC.

“Quando você vê vídeos PLURAL+ criados por jovens talentos de todo o mundo, sente-se otimista de que nosso planeta tão complexo será um lugar melhor amanhã”, completou.

Para o diretor-geral da OIM, “Os vídeos que exibiremos hoje são evidências da resiliência dos jovens”.

“Esses jovens cineastas não permitiram que as narrativas negativas sobre migração – tão popularizadas na mídia contemporânea – os privassem de empatia.”

Premiação em Nova York

Patrick Melo conta que o vídeo produzido para o festival foi inspirado em sua própria história. Foto: ONU News.

Patrick Melo conta que o vídeo produzido para o festival foi inspirado em sua própria história. Foto: ONU News.

Entre os 25 jovens premiados em Nova York, Patrick foi o único reconhecido nas categorias de Prevenção da Xenofobia e de Vídeo da ONU.

Nascido em Pernambuco, Melo vive atualmente no Rio de Janeiro e contou que o vídeo produzido para o festival foi inspirado em sua própria história: ao se mudar de Jaboatão dos Guararapes para a capital carioca, teve dificuldades de adaptação.

“Logo com 15 anos, chegando no Rio de Janeiro, eu percebi um forte preconceito com pessoas que vinham do nordeste do país… isso me incomodou muito ao longo desses anos”, comentou Melo.

Ele conta que essa foi a inspiração para criar, porque “eu gosto muito de lidar com as coisas de um jeito engraçado, divertido, e de fazer piada com tudo, e isso foi mais uma ferramenta que eu usei para reverter em comédias e risos e em conscientização das pessoas”.

Na sede das Nações Unidas, o jovem brasileiro disse que é através das redes sociais que mantém contato com seus fãs. Há seis anos youtuber, além de estar regularmente ao vivo nessa plataforma, criou mais de 50 vídeos sobre temas diversos em seu canal.

O foco do curta premiado, “Brasileiro, mas não jogador de futebol”, é como lidar com estereótipos. Usando a comédia, o jovem cineasta aborda a questão da xenofobia, com base na experiência que viveu. O trabalho incentiva os espectadores a conviver com a diversidade em cidades, países ou culturas.

“O PLURAL+ incentiva não só a criação desse tipo de conteúdo, mas automaticamente promove a conscientização das pessoas. Tanto que quem cria os conteúdos, depois de participar do PLURAL+, já tem uma visão diferente sobre o assunto”, afirmou o jovem brasileiro.

Diversidades culturais em foco

A iniciativa escolheu produções sobre migração, diversidade e inclusão social e foram exibidos vídeos de 25 participantes do festival com idades entre sete e vinte e cinco anos.

“Em busca de Refúgio” (Espanha) conta a história de uma jovem refugiada enquanto tenta se adaptar à vida em um novo país; “Etiquetas” (México) explora a questão da discriminação e noções pré-concebidas; e “Já somos o suficiente: uma mensagem de empoderamento feminino” (Jordânia), examina as expectativas impostas a mulheres e meninas pela sociedade.

Vindos de diversos países especialmente para a premiação, os vinte e um finalistas remanescentes receberam prêmios das muitas organizações parceiras da PLURAL+.

Durante a ocasião, tiveram a oportunidade de exibir seus filmes e dizer algumas palavras para uma audiência de mais de 200 pessoas, incluindo delegados, representantes das Nações Unidas, jornalistas, cineastas e jovens.

Os vídeos vencedores são exibidos e transmitidos em dezenas de festivais, cinemas, canais de televisão, escolas e conferências globais em todo o mundo e estão disponíveis no site do festival.

O Festival

Desde o lançamento em 2009, o PLURAL+ já teve a participação de milhares de jovens de mais de 100 países.

Os organizadores premiam a criatividade e divulgam as produções vencedoras para reforçar o papel dos participantes como “agentes de mudança social positiva” sobre temas como intolerância e discriminações culturais e religiosas.

Com o Festival de Vídeo da Juventude PLURAL+, a UNAOC e a OIM abordam os objetivos 16 e 17 do Pacto Mundial sobre Migrações Seguras, Ordenadas e Regulares (GCM), capacitando os migrantes e as sociedades a realizar plena inclusão, coesão social e promovendo discurso baseado em evidências para moldar as percepções sobre a migração.

Com crescente interesse e participação a cada ano, o PLURAL + se tornou a principal plataforma global de distribuição de mídia da ONU para jovens.