Israel e Palestina: ‘É tempo de agir decisivamente para uma solução de dois Estados’, afirma ONU

Compromisso assumido por líderes do Oriente Médio busca levar solução pacífica para regiões mais afetadas pela crise.

Barreira na Cisjordânia, com postos de controle, bloqueios de estradas e sistema de autorização, criou um regime de oclusão com efeito terrível na vida dos refugiados palestinos. Foto: ACNUR/Isabel de la Cruz

Barreira na Cisjordânia, com postos de controle, bloqueios de estradas e sistema de autorização, criou um regime de oclusão com efeito terrível na vida dos refugiados palestinos. Foto: ACNUR/Isabel de la Cruz

Saudando o recente compromisso assumido pelos líderes israelenses e palestinos para uma solução pacífica nas regiões que mais sofrem com a crise, o enviado especial das Nações Unidas para o Oriente Médio disse ao Conselho de Segurança nesta quinta-feira (23) que tais palavras de comprometimento devem se transformar em “ações concretas e sustentáveis”.

“Agora é tempo de agir de forma decisiva para reverter a crescente percepção de que a solução de dois Estados está morrendo aos poucos”, alertou o coordenador especial para o processo de paz no Oriente Médio da ONU, Nickolay Mladenov, enquanto falava ao Conselho de Segurança sobre a situação na região no último mês.

Na ocasião, ele alertou que situação nos territórios palestinos é cada vez menos sustentável. Apesar da decisão recente de Israel de conceder 8 mil autorizações de trabalho aos palestinos da Cisjordânia e a autorização para a entrada de material para a reconstrução das casas destruídas em Gaza, o coordenador especial deplorou as atividades unilaterais israelenses que ocorrem nesta região, incluindo a construção de assentamentos e a demolição e despejos.

O enviado especial também chamou a atenção para a crescente violência nos territórios palestinos e áreas vizinhas, com operações de seguranças de ambas as partes provocando detenções de israelenses e palestinos. Além disso, a presença de grupos extremistas é fonte de preocupação tanto em Gaza como no Sinai.