Iraque: Enviado da ONU pede rápido compromisso político para formação de novo governo

O representante da ONU sublinhou que nenhum problema de segurança, social ou político poderá ser resolvido sem uma nova administração que una o país.

Um grupo de meninas deslocadas internamente no Iraque, esperando numa fila para receber comida numa cozinha comunitária na região do Curdistão do Iraque. Foto: ACNUR/B. Szandelszky

Um grupo de meninas deslocadas internamente no Iraque, esperando numa fila para receber comida numa cozinha comunitária na região do Curdistão do Iraque. Foto: ACNUR/B. Szandelszky

Com o prazo de formação do governo no Iraque aproximando-se ao fim estabelecido na Constituição, o enviado das Nações Unidas no país encorajou neste sexta-feira (05) todas as partes políticas a se comprometerem com as negociações sobre a formação do governo.

“Incentivo aos líderes políticos do Iraque a finalizar o processo de formação do governo dentro do prazo constitucional e garantir uma representação justa de mulheres e comunidades minoritárias no novo governo”, disse o representante especial do secretário-geral da ONU e chefe da Missão no Iraque (UNAMI), Nickolay Mladenov.

O enviado sublinhou que nenhum dos problemas de segurança, sociais ou políticos que o Iraque enfrenta poderá ser resolvido sem uma nova administração que possa unir o país, bem como sem o contínuo apoio internacional contra as ameaças dos grupos militantes conhecidos como Estado Islâmico.

“Hoje o mundo observa o Iraque e está pronto para dar seu apoio imediato ao novo governo nos seus esforços de responder aos desafios futuros”, disse.

A Agência da ONU para os Refugiados (ACNUR) anunciou que operação de ajuda humanitária para os deslocados internos continua, mas alertou sobre a necessidade imediata de encontrar alojamento e providenciar tendas para protegê-los com a aproximação do inverno.

“No momento, novos deslocamentos diminuíram. No entanto, com combates contínuos nas províncias de Diyala, Anbar e Saladin, a situação continua imprevisível”, disse o porta-voz do ACNUR, Adrian Edwards.

Estima-se que 1,8 milhão de pessoas deixou suas casas desde janeiro, buscando  abrigo em 1.500 lugares em todo o país. Mais de 215 mil refugiados sírios também estão deslocados dentro do Iraque.