Iraque: 100 mil crianças vivem em meio ao fogo cruzado em Mossul, alerta UNICEF

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

“Estamos recebendo relatos alarmantes de civis, incluindo várias crianças mortas no oeste de Mossul”, disse Peter Hawkins, representante do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) no Iraque.

Após as hostilidades em curso em Mossul, refugiados recém-chegados no caminho no campo de Al-Hol, perto da fronteira iraquiana no norte da região da Síria, no distrito de Hasakeh. Foto: UNICEF/Soulaiman

Após as hostilidades em curso em Mossul, refugiados recém-chegados no caminho no campo de Al-Hol, perto da fronteira iraquiana no norte da região da Síria, no distrito de Hasakeh. Foto: UNICEF/Soulaiman

Cerca de 100 mil crianças permanecem em condições extremamente perigosas no oeste da cidade de Mossul, no Iraque, enquanto a luta entre o governo e as forças terroristas continua, informou nessa semana (5) a agência das Nações Unidas para a infância, advertindo que “as vidas das crianças estão no fogo cruzado”.

“Estamos recebendo relatos alarmantes de civis, incluindo várias crianças mortas no oeste de Mossul”, disse Peter Hawkins, representante do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) no Iraque, em um comunicado. Ele observou que meninos e meninas estão sendo mortos, feridos e usados como escudos humanos à medida que a luta se intensifica.

Estima-se que 100 mil meninas e meninos permaneçam em condições extremamente perigosas na Cidade Velha e em outras áreas de Mossul, disse o representante da agência, pedindo todas as partes no oeste de Mossul mantenham as crianças fora de perigo em todos os momentos.

“Os ataques contra civis e contra a infraestrutura civil, incluindo hospitais, clínicas, escolas, casas e sistemas de água, devem parar imediatamente”, disse Hawkins.


Mais notícias de:

Comente

comentários