IPHAN realiza encontro internacional sobre valorização do patrimônio cultural no RS

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) promove até sábado (26) uma série de eventos voltados para a valorização do patrimônio cultural da região Sul do Brasil. As atividades acontecem em Porto Alegre (RS) e terão a participação de autoridades e especialistas nacionais e internacionais, que discutirão o potencial econômico do patrimônio cultural em sua dimensão turística.

Entre as atividades, destaca-se a exposição “Sete Povos – Retratos de um Território”, inaugurada na quinta-feira (24) no Memorial do Rio Grande do Sul. A iniciativa é fruto de uma cooperação técnica entre Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) no Brasil, Agência Brasileira de Cooperação (ABC) e países-membros do Mercosul.

Largo dos Açorianos em Porto Alegre, Rio Grande do Sul. Foto: Flickr (CC)/Filipe Castilhos

Largo dos Açorianos em Porto Alegre, Rio Grande do Sul. Foto: Flickr (CC)/Filipe Castilhos

O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) promove até sábado (26) uma série de eventos voltados para a valorização do patrimônio cultural da região Sul do Brasil. As atividades acontecem em Porto Alegre (RS) e terão a participação de autoridades e especialistas nacionais e internacionais, que discutirão o potencial econômico do patrimônio cultural em sua dimensão turística.

Entre as atividades, destaca-se a exposição “Sete Povos – Retratos de um Território”, inaugurada na quinta-feira (24) no Memorial do Rio Grande do Sul. A iniciativa é fruto de uma cooperação técnica entre Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) no Brasil, Agência Brasileira de Cooperação (ABC) e países-membros do Mercosul.

A mostra vai apresentar aspectos patrimoniais, materiais e imateriais do Rio Grande do Sul, por meio de fotografias, desenhos, mapas cartográficos e vídeo-documentários que retratam a diversidade de povos que marcaram a região culturalmente: guaranis, gaúchos missioneiros, populações quilombolas e descendentes das antigas colônias portuguesa, polonesa, italiana e alemã.

Haverá ainda uma oficina voltada para o público infanto-juvenil que combina arte e educação. A exposição é itinerante e fica na capital gaúcha até janeiro de 2020. São Miguel das Missões, Rio de Janeiro e Montevidéu, no Uruguai, também receberão a mostra.

No sábado, serão realizadas reuniões técnicas entre IPHAN, ABC, UNESCO e representantes de países do Mercosul da região das missões jesuíticas: Argentina, Paraguai, Bolívia e Uruguai. O objetivo é fortalecer a identidade regional entre o Brasil e os demais países do bloco e discutir iniciativas conjuntas para impulsionar o turismo voltado para os itinerários culturais na região missioneira.