Investimentos da Coreia do Sul na América Latina chegam a 27 bilhões de dólares, afirma CEPAL

Novo estudo da Comissão Econômica da ONU para a América Latina e Caribe afirma que os investimentos do país asiático na região se concentram no Brasil e no México.

Os laços comerciais e de investimento entre a América Latina e Caribe e a Coreia do Sul se estreitaram nos últimos anos, afirma o relatório “Relações Econômicas entre a América Latina e o Caribe e a República da Coreia. Avanços e Oportunidades”, publicado pela Comissão Econômica da América Latina e o Caribe da ONU (CEPAL). O documento foi divulgado recentemente na sede da entidade em Santiago (Chile), coincidindo com a visita oficial do presidente do país asiático, Geung-hye Park, a Colômbia, Peru, Chile e Brasil.

De acordo com o estudo, a Coreia do Sul tornou-se, entre 2000 e 2011, uma importante fonte de investimento direto estrangeiro (IDE) para a região, superando a China. Entre 2003 e 2012, os fluxos de IDE originários do país asiático cresceram de 4 para 27 bilhões de dólares, concentrando-se principalmente no Brasil e no México, especialmente na indústria.

A experiência de seis décadas do país asiático oferece muitas lições para a América Latina e Caribe e para as nações em desenvolvimento, em geral, afirma o relatório. O estudo indica que o principal aprendizado da experiência coreana para a região é que, independentemente das oscilações do contexto econômico internacional, alcançar o desenvolvimento depende da qualidade e consistência das políticas públicas em cada país.