Iniciativa visa colocar setor financeiro no centro da agenda de desenvolvimento sustentável

O Pacto Global das Nações Unidas lançou uma força-tarefa de diretores financeiros de grandes empresas para criar um programa de dois anos que visa colocar o setor financeiro global no centro da Agenda 2030 e seus 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Durante o SDG Investment Forum, realizado em Milão, diretores financeiros de empresas globais concordaram em dar a largada ao diálogo com líderes de empresas para que encontrem, juntos, soluções para o desenvolvimento sustentável e para a escalada nos investimentos ligados aos ODS.

Edifícios em Punta Pacifica, na Cidade do Panamá. Foto: Banco Mundial

Edifícios em Punta Pacifica, na Cidade do Panamá. Foto: Banco Mundial

O Pacto Global das Nações Unidas lançou uma força-tarefa de diretores financeiros de grandes empresas para criar um programa de dois anos que visa colocar o setor financeiro global no centro da Agenda 2030 e seus 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Durante o SDG Investment Forum, realizado em Milão, diretores financeiros (CFO2, na sigla em inglês) de empresas globais concordaram em dar a largada ao diálogo com líderes de empresas para que encontrem, juntos, soluções para o desenvolvimento sustentável e para a escalada nos investimentos ligados aos ODS.

“A comunidade de CFOs e suas empresas administram 14 trilhões de dólares em investimentos anuais globalmente, incluindo mais de 7 trilhões de dólares em mercados emergentes”, disse Lise Kingo, CEO e Diretora Executiva do Pacto Global das Nações Unidas.

“Por meio da nossa força-tarefa, queremos engajar os CFOs e fazê-los alavancar trilhões de investimentos com foco e estratégias de negócios que fechem a lacuna de financiamento dos ODS.”

“Nossa visão é criar uma plataforma para que CFOs colaborem e tragam resultados positivos para os ODS. Para alcançar isso, a força-tarefa desenvolverá um conjunto de princípios alinhados aos ODS e ao ambiente corporativo que ajudará empresas a integrar os objetivos globais nas suas estratégias financeiras”, adicionou.

A força-tarefa atua para engajar as quase 10 mil empresas que participam do Pacto Global das Nações Unidas e incluir um formulário anual que monitora o progresso da comunidade mundial de CFOs.

A equipe de Financiamento Sustentável do Pacto Global liderado por Marie Morice continuará recrutando mais CFOs nos próximos meses, incluindo parcerias com a rede CFO Accounting for Sustainability’s (A4S).

Novas ferramentas para os investidores

A força-tarefa de CFOs será liderada pelas empresas Enel e PIMCO, em uma coordenação próxima com parceiros como o PRI – em inglês, Principles for Responsible Investment, UNEP-FI, A4S, IMP e o Global Investors for Sustainable Development (GISD).

Sua criação vem do reconhecimento de um impacto sistêmico da sustentabilidade nos negócios, sempre em busca de transformações de todo o mundo corporativo e dos modelos de produção, assim como dos investimentos internos.

Alberto De Paioli, CFO da Enel e um dos coordenadores da força-tarefa, diz que “por meio da iniciativa, queremos dar respostas para o mundo não apenas com retóricas ou promessas, mas com metas claras e resultados sólidos”.

“Queremos implementar um plano global de ação, promovendo o ‘mindset’ e a abordagem característica dos CFOs alinhada a ações concretas para alavancar estratégias ligadas aos ODS. Isso gera impacto nas relações com investidores, agências de risco e na forma como nos comunicamos com todos os nossos parceiros.”

A força-tarefa visa endereçar a necessidade de criar ferramentas para os CFOs e aumentar o capital dos investidores, transferindo recursos para um caminho que maximiza o impacto positivo.

A iniciativa também quer reduzir a lacuna de investimento em setores-chave do mercado, injetando ao menos 638 bilhões de dólares anualmente em Investimento Estrangeiro Direto (IED) nos mercados emergentes.

“O caminho de mudança para um investimento sustentável continua acelerando até um nível marcante. Esse esforço deve ajudar investidores na hora de avaliar riscos e retornos e contribuir com a comunidade de investimentos para que ela se torne uma participante ativa da mudança positiva da sociedade”, disse Scott Mather, diretor de gestão da PIMCO.

“Precisamos que investidores trabalhem juntos com as questões ligadas a um mercado sustentável para além dos títulos verdes, e continue nesse esforço para o alcance dos ODS”.

Participantes fundadores da Força Tarefa CFO do Pacto Global

▪ BASF

▪ Braskem

▪ Enel

▪ Eni

▪ FCC Construcción

▪ Global Impact Initiative

▪ Iberdrola

▪ Moody’s

▪ PIMCO

▪ Pirelli

▪ SkyPower

▪ Sompo Japan Nipponkoa Asset Management

▪ Terna

▪ Pearson

▪ Tesco

▪ Turkcell