Inflação dos preços dos alimentos no Brasil cai entre março e abril, afirma ONU

O índice ficou em 1,2%, 0,7 pontos percentuais a menos que o registrado em março (1,9%). Já a inflação geral alcançou 0,7% no mesmo período, de acordo com relatório da FAO.

Foto: FAO/J. Spanner

De acordo com dados divulgados nesta semana pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), o Brasil registrou reduções importantes no preço dos alimentos entre março e abril. O índice ficou em 1,2%, 0,7 pontos percentuais a menos que o registrado em março (1,9%). Já a inflação geral no país alcançou 0,7% no mesmo período. Os dados fazem parte do Informe Mensal de Preços da FAO.

Outros países da América do Sul também registraram importantes reduções no aumento dos preços dos alimentos no mesmo período: Equador e Paraguai em 0,6% e 0,7%, respectivamente; na Bolívia o índice caiu pelo segundo mês consecutivo, com uma variação de -0,1; a Argentina e Uruguai registraram as maiores reduções com variação entre 1,1% e 0%, respectivamente.

Já o Chile e a Colômbia tiveram uma alta de 0,1 pontos percentuais na inflação alimentar, e o Peru teve alta de 0,6 pontos percentuais. Os preços dos alimentos na América Latina e no Caribe cresceram em 0,9% em abril, um crescimento de 0,6 pontos percentuais a menos em comparação com março, de acordo com o Informe.

No resto do mundo, o índice internacional de preços dos alimentos da FAO em abril registrou 209,3 pontos, uma queda de 1,6% em comparação a março, ocasionada principalmente pela baixa nos preços dos lácteos (-6,3%), do açúcar (-1,6%) e dos aceites vegetais (-2,8%). Já os preços dos cereais (0,5%) e das carnes (0,4%) aumentaram levemente.