Indústria dos correios está migrando para internet, aponta relatório da ONU

Um novo relatório da União Postal Universal (UPU) com dados de correios de 93 países aponta um rápido crescimento em serviços postais online. Em 2010, 85 novas ferramentas foram introduzidas na internet, comparados a 33 em 2007.

“Eles (a indústria) estão inovando e fazendo estratégias para o uso de novas tecnologias a fim de diversificar seus produtos e serviços para atingir as crescentes novas demandas dos clientes”, defendeu o Diretor Geral da UPU, Edouard Dayan.

O relatório afirma que apesar de os países industrializados oferecem em média o dobro do número de serviços online, vários países em desenvolvimento se destacam por suas soluções inovadoras. Brasil, África do Sul, Tunísia, Belarus e Ucrânia são alguns dos destaques.

O estudo divide 55 diferentes serviços em quatro categorias: postal, financeiro, comercial e governamental. A categoria postal apresenta os melhores índices de desenvolvimento, enquanto a governamental é considerada relativamente nova.

Apesar da crescente importância, o estudo releva que os serviços online representam apenas 1,5% dos lucros dos correios e de empresas especializadas. E ainda há pouca atenção a questões financeiras, de mercado e de organização administrativa.

Entre os serviços que seguem em estado de pouco desenvolvimento estão: notificação da entrega através de mensagens de texto por celular ou e-mail; mudanças dos endereços online; prestação de serviços de marcas eletrônicas de certificação postal, registros postais de correio eletrônico, documentos aduaneiros eletrônicos e identidades digitais.