Incidente com flotinha expõe necessidade de mudança radical em Gaza

Coordenador Especial para o Processo de Paz no Oriente Médio, Robert Serry declarou que a ONU está pronta para, em caso de exceção, se responsabilizar pelo carregamento de três navios registrados turcos e assegurar sua distribuição em Gaza para fins humanitários.

Navio com ajuda humanitária partindo da Turquia para Gaza. Foto: UN.O Coordenador Especial para o Processo de Paz no Oriente Médio (UNSCO), Robert Serry, declarou nesta terça-feira (15) que uma mudança fundamental na situação em Gaza é necessária. A tragédia recente envolvendo uma flotilha com ajuda humanitária interceptada por Israel é mais um aviso de que o bloqueio da Faixa é insustentável e precisa terminar. Ele afirmou que a crise da flotilha é o último sintoma de uma política falida, e que o isolamento da Faixa de Gaza precisa chegar ao fim.

O incidente ocorrido em 31 de maio, quando Israel invadiu um comboio de seis navios em direção a Gaza carregando ajuda humanitária e ativistas em águas internacionais, resultou em nove civis mortos e mais de 30 feridos. Serry declarou que a ONU está pronta para, em caso de exceção, se responsabilizar pelo carregamento de três navios registrados turcos e assegurar sua distribuição em Gaza para fins humanitários.

Serry disse que esforços devem ser direcionados ao avanço do problema e em tentar transformar a crise em uma oportunidade de chamar a atenção para a multiplicidade de questões que dizem respeito a Gaza. “É bem mais importante voltar nossa atenção ao que realmente precisa ser feito e o que precisa acontecer agora, que é um fim efetivo do que foi denominado de política de isolamento ou bloqueio de Gaza”, disse.

O coordenador ressaltou que há um consenso internacional sobre Gaza. Todos estão de acordo no Quarteto diplomático – composto por ONU, União Europeia, Rússia e Estados Unidos – que deve haver uma mudança fundamental na situação. Ele foi informado por Israel que há uma revisão em andamento sobre a política em Gaza, ressaltando que é vital que o resultado seja o fim das medidas que punem a população civil.

Serry acrescentou que Israel deve migrar da política atual, onde apenas 116 itens são aprovados para entrar em Gaza, para uma política em que todos os bens e materiais são aceitos, a não ser que haja uma razão de segurança legítima contra a entrada dos itens. Ele também defendeu a facilitação das exportações e que as categorias de pessoas permitidas a entrar e sair de Gaza sejam expandidas.

Israel impôs o bloqueio em Gaza devido ao que chamaram de razões de segurança após o Hamas, que não reconhece o direito de Israel de existir, dominou o movimento Fatah na Faixa em 2007. Serry fez questão de deixar claro que espera uma mudança de política de Israel assim como espera do Hamas, principalmente uma declaração de cessar fogo prolongado e ações de prevenção a todas as formas de violência contra Israel.

Além de chamar a atenção para os problemas afetando Gaza, Serry declarou ser crucial manter as conversas de proximidade, mediadas pelos Estados Unidos, entre Israel e Palestina, iniciadas no ultimo mês. Medidas positivas sobre o assunto incluiria Israel congelar todas as atividades de assentamento e uma ação palestina para combater a violência e o terror e continuar com reformas.