Incerteza sobre dívida pública dos EUA ameaça reservas internacionais da América do Sul

As reservas acumuladas da América Latina e Caribe ultrapassam 700 bilhões de dólares. Quase a metade dessas economias são do Brasil.

Comissão Econômica para América Latina e Caribe (CEPAL)A Comissão Econômica para América Latina e Caribe (CEPAL) observa com preocupação as discussões nos Estados Unidos sobre os limites de endividamento do governo e espera que o problema seja resolvido rapidamente e da melhor maneira possível. Os EUA é o principal parceiro econômico da região, que possui 700 bilhões em ativos na moeda americana. Desse total, 335 bilhões de dólares se referem apenas às reservas brasileiras.

“O atraso na aprovação de um “teto” para a nova dívida pública dos EUA é uma ameaça para o sistema financeiro internacional”, diz o comunicado enviado hoje (27/07) para a imprensa. Caso as discussões não evoluam no congresso americano, poderia haver redução no valor dos ativos, com impacto nas taxas de câmbio e na demanda por bens e serviços produzidos e exportados pela região.

Embora a América Latina e o Caribe estejam mais preparados do que no passado para enfrentar uma deterioração do cenário internacional, se o problema da dívida americana persistir, pode colocar em “sério risco” a capacidade de resistência e de crescimento da região. A Secretária Executiva da CEPAL, Alicia Bárcena, pediu soluções eficazes às instituições norte-americanas para impedir o crescimento da crise iniciada em 2007.

Para ver a tabela com os valores das reservas brutas por país clique aqui.