Impunidade para atos criminosos em Darfur tem que acabar, afirma chefe de Missão da ONU

Ibrahim Gambari reafirmou seu compromisso com o enfrentamento da impunidade por crimes nos campos de refugiados na região.

Chefe da Missão Conjunta das Nações Unidas e da União Africana em Darfur (UNAMID), Ibrahim Gambari, visita o campo de Kassab, em Darfur do Norte. Foto: ONU/Albert Gonzalez Farran

O chefe da Missão Conjunta das Nações Unidas e da União Africana em Darfur (UNAMID), Ibrahim Gambari, reafirmou nesta quinta-feira (19/1) seu compromisso com o enfrentamento da impunidade por crimes nos campos de refugiados na região. “Estive tratando dessa questão com os oficiais do alto escalão do Governo do Sudão”, afirmou Gambari durante um encontro com pessoas deslocadas internamente no estado de Darfur do Norte.

O representante especial da Missão disse que “onde as pessoas estiverem implicadas em atos criminosos de conhecimento público, elas devem ser levadas a justiça. Graças à nossa pressão, agora o Governo do Sudão encaminhou uma corte especial e um promotor”. Durante o encontro, ao ouvir de algumas mulheres sobre o aumento dos casos de sequestros no campo, Gambari prometeu levar a preocupação até as autoridades locais.

Durante a visita, Gambari se encontrou com as tropas da UNAMID da África do Sul deslocadas para a área e foi informado das atividades e desafios da Missão. Ele ressaltou que as tropas deveriam aumentar seus esforços através do aumento de patrulhas na área, inclusive noturnas.

Ele também conversou com o Comissário de Kutum, Mohammed Kamaldin El Sayed Abu Shouk, que expressou sua satisfação com a UNAMID e observou a necessidade de implantar mais projetos de desenvolvimento na área. O chefe da Missão assegurou ao Comissário que a UNAMID continuará trabalhando para as pessoas de Kutum e Darfur.