Hizbollah deve desarmar-se para garantir a soberania do Líbano, adverte Ban

Relatório destaca esforços para a busca da estabilidade no Líbano.

Secretário-Geral Ban Ki-moonRelatório destaca esforços para a busca da estabilidade no Líbano

Desmantelar as milícias no Líbano – especialmente o Hizbollah, que participou de uma guerra com Israel em 2006 – é “de importância vital” para a democracia e soberania do país, o Secretário Geral Ban Ki-moon escreveu em um novo relatório, onde afirma satisfação com os progressos realizados em busca de estabilidade.

“As ameaças representadas pela existência de milícias fora do controle do Estado, especialmente da vasta infra-estrutura paramilitar do Hizbollah, não podem ser subestimadas”, escreve ele, pedindo aos líderes do grupo militante que se tornem um partido libanês puramente político.

“Por isso, apelo a todas as partes, dentro e fora do Líbano, que suspendam imediatamente todos os esforços para transferir ou adquirir armas e construir capacidades paramilitares fora da autoridade do Estado”, acrescenta ele, observando “com profunda preocupação” que os líderes do Hizbollah tenham falado publicamente do apoio que prestam aos militantes palestinos, incluindo a assistência militar.

Ban também diz que Israel, violando a soberania do Líbano e relevantes resoluções do Conselho de Segurança, continua a voar no espaço aéreo libanês, “Lamento estas violações e peço a Israel que cesse tais sobrevôos”, escreveu ele.

Ele também observa que as difíceis condições dentro dos campos de refugiados palestinos estão reforçando os grupos radicais e apela para a melhoria das condições de vida dos refugiados “no interesse de uma situação mais segura no país”.