Hipertensão é ‘assassino global silencioso’ e afeta países ricos e pobres, alerta ONU

Consumir menos sal, ter uma dieta equilibrada e praticar atividades físicas regularmente estão entre as medidas de precaução.

Hipertensão: assassino silencioso, crise na saúde pública global. Foto: OMS

Hipertensão: assassino silencioso, crise na saúde pública global. Foto: OMS

Levar uma vida saudável e estar ciente dos nossos próprios níveis de pressão do sangue podem ajudar a prevenir a hipertensão, que afeta cerca de 1 bilhão de pessoas em todo o mundo, disse a ONU marcando o Dia Mundial da Saúde, neste domingo (7).

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), as pessoas podem tomar medidas simples para reduzir o risco de hipertensão, tais como consumir menos sal, ter uma dieta equilibrada, praticar atividades físicas regularmente, evitar o uso de tabaco e evitar o uso nocivo do álcool. Estas ações, juntamente com a medição da pressão sanguínea, também poupam tempo e dinheiro dos indivíduos e dos governos.

“Este ano, o Dia Mundial da Saúde faz soar o alarme sobre um assassino global silencioso: a pressão arterial elevada, normalmente conhecida como hipertensão”, disse o Secretário-Geral da ONU, Ban Ki-moon, em sua mensagem para a data. “Um em cada três adultos em todo o mundo está nesta condição. Esta é uma importante causa de morte tanto em países ricos como pobres.”

O tema para o Dia Mundial da Saúde neste ano foi “Medir a pressão arterial, reduzir o seu risco” e centra-se na prevenção da hipertensão em pessoas com mais de 25 anos de idade.

Segundo a ONU, a hipertensão arterial é um dos fatores mais relevantes para doenças cardíacas e para o acidente vascular cerebral (AVC) — que, juntos, são os líderes nas causas de morte prematura e invalidez. Ela é mais prevalente na África, onde afeta até 46% dos adultos.