Haiti: ONU e parceiros lançam projeto de desenvolvimento sustentável de 200 milhões de dólares

A Organização das Nações Unidas e seus parceiros lançaram esta semana um programa de recuperação ambiental, com duração prevista de 20 anos e no valor de 200 milhões de dólares.

A Organização das Nações Unidas e seus parceiros lançaram esta semana um programa de recuperação ambiental, com duração prevista de 20 anos e no valor de 200 milhões de dólares. Previsto para ocorrer no sudeste do Haiti, o projeto tem o objetivo de beneficiar mais de 200 mil pessoas e mostrar a viabilidade do desenvolvimento rural sustentável.

Lições aprendidas durante a execução do projeto, que cobre em terra uma área de 780 quilômetros quadrados e mais 500 em regiões marítimas, podem ser aplicadas ao resto do Haiti – país mais pobre, instável e degradado ambientalmente do Hemisfério Ocidental.

“Restaurar os serviços ambientais da região será um passo importante para restabelecer um caminho de desenvolvimento duradouro para seu povo e um trampolim para uma economia verde”, disse (04/01) o Diretor Executivo do Programa das Nações Unidas o Meio Ambiente (PNUMA), Achim Steiner, na inauguração do programa, em Port-Salut.

A Iniciativa da Costa Sul é patrocinada pelo PNUMA e um consórcio de parceiros, incluindo os Governos do Haiti e da Noruega, Serviços de Assistência Católicos, o Earth Institute da Universidade de Columbia (Nova York) e uma série de ONGs locais. Graves problemas de pobreza, falta de alimentos e vulnerabilidade a desastres têm afetado o bem-estar local por décadas. A iniciativa propõe novas abordagens, que incluem forte foco na coordenação do auxílio, apropriação nacional e reforço das capacidades do Governo e seus parceiros para resolver as causas subjacentes das questões que afetam o país.

250 mil diretamente beneficiados

Dez comunas, com população estimada em 250 mil pessoas, serão diretamente beneficiadas através do programa, que inclui iniciativas de reflorestamento, controle de erosão, gestão de pescas, restauração de mangues e desenvolvimento de pequenos negócios e do turismo, bem como melhor acesso à água, saneamento, saúde e educação.

Entre 50 e 100 projetos serão implementados ao longo de 20 anos, com ao menos dez tendo duração prevista de cinco anos ou mais. Em 2011, o foco será a implementação de um bom banco de dados sobre o estado da terra e do mar, além do trabalho com comunidades locais e parceiros no desenvolvimento e implementação de planos de ação.

O lançamento desta terça (04/01) foi possível graças a subsídios no valor de 14 milhões de doláres fornecidos pelo Governo da Noruega, Serviços de Assistência Católicos e a Fundação Green Family. “O objetivo desta grande iniciativa a longo prazo é demonstrar que o desenvolvimento rural sustentável é realmente possível com a abordagem correta”, disse o Coordenador do Programa do PNUMA, Andrew Morton. “No tempo certo, as lições aprendidas serão levadas ao resto do Haiti.”