Há 50 anos, os primeiros astronautas a pisar na Lua eram homenageados na ONU

Poucas semanas após a histórica missão do programa espacial Apollo 11, há 50 anos, os astronautas Neil Armstrong, Buzz Aldrin e Michael Collins visitaram a sede das Nações Unidas, em Nova Iorque, onde foram homenageados.

Era um dia de sol, 13 de agosto de 1969, quando os primeiros astronautas a pisar na Lua apareceram na praça principal do prédio da Assembleia Geral das Nações Unidas. Eles foram recebidos pelo então secretário-geral, U Thant, como “três grandes pioneiros”, em nome de toda a humanidade.

Astronautas norte-americanos Neil Armstrong, Edwin E. Aldrin e Michael Collins da Apollo 11, os primeiros a pisar na Lua, durante visita à sede da ONU em Nova Iorque, em 13 de agosto de 1969. Foto: ONU/J. Grinde

Poucas semanas após a histórica missão do programa espacial Apollo 11, há 50 anos, os astronautas Neil Armstrong, Buzz Aldrin e Michael Collins visitaram a sede das Nações Unidas, em Nova Iorque, onde foram homenageados.

Era um dia de sol, 13 de agosto de 1969, quando os primeiros astronautas a pisar na Lua apareceram na praça principal do prédio da Assembleia Geral das Nações Unidas. Eles foram recebidos pelo então secretário-geral, U Thant, como “três grandes pioneiros”, em nome de toda a humanidade.

Em um pódio especial montado na área externa, sem nenhuma mulher na primeira fileira, o secretário-geral birmanês da ONU — o primeiro não europeu a assumir o cargo — saudou os heróis do programa norte-americano Apollo 11.

Segundo Thant, os astronautas na época já haviam “assumido seus lugares no seleto grupo que através dos séculos demonstraram o poder de visão, propósito e determinação humana”.

Ele disse à plateia de enviados especiais, diplomatas, funcionários da ONU e jornalistas que toda a humanidade foi capaz de compartilhar a “grande conquista”, participando de um “momento único na história”.

Ver os astronautas caminhando na Lua nos ajudou a satisfazer o antigo desejo de fugir de tudo, afirmou Thant na ocasião.

O extraordinário voo, a caminhada na Lua e o retorno à Terra “nos trouxeram um entendimento renovado de tudo que nós, humanos, podemos conquistar neste planeta, com nossos recursos e nossa tecnologia, se nos prepararmos para combinar esforços e trabalharmos juntos para o benefício de toda a humanidade”.

Falando sobre o poder dos esforços coletivos, exemplificado pela Carta das Nações Unidas, o então secretário-geral disse ser “especialmente gratificante o fato de a placa que os astronautas colocaram na Lua dizer: ‘viemos em paz por toda a humanidade’”.

“Foram poucas palavras, mas elas representam a identidade comum para todos os habitantes deste planeta e a nossa busca sem fim pela paz”, afirmou.

Assumindo o microfone, o comandante Neil Armstrong se referiu à multidão, em meio a aplausos, como “distintos representantes do planeta Terra”. Armstrong proferiu a célebre frase “The Eagle has landed” (a águia pousou, em tradução livre).

“Com grande orgulho aceitamos esta honra de ter a oportunidade de ver seus rostos sorridentes hoje”, em nome de centenas de dedicados cientistas e profissionais da NASA envolvidos no programa Apollo, disse Armstrong.

Seu discurso naquele dia foi um eloquente relato da escala da conquista e da ambição de todas as Nações Unidas.

“Posso dizer que vocês compartilham conosco a esperança de que nós, cidadãos da Terra, consigamos solucionar o problema de deixar a Terra, mas também os problemas de permanecer nela.”

Os astronautas levaram à ONU uma réplica exata da placa deixada por eles na superfície da Lua. A placa é gravada com as palavras: “Aqui, homens de todo o planeta Terra pisaram na Lua, julho de 1969. Viemos em paz, por toda a humanidade”.

Outra lembrança da missão, guardada na sede da ONU, é uma amostra de rocha lunar, presenteada pelo ex-presidente Richard Nixon, dos Estados Unidos, em 20 de julho de 1970. A lembrança foi entregue quando a comunidade internacional celebrou um ano do pouso na Lua.

Os três astronautas voltaram mais uma vez à sede da ONU naquele ano para participar de uma entrega cerimonial da rocha lunar.


Comente

comentários