Guterres pede ambição e ação nas discussões da Assembleia Geral da ONU

Assembleia Geral da ONU. Foto: ONU/Cia Pak

Cinco cúpulas das Nações Unidas serão realizadas na próxima semana para discutir a crise do clima e outras preocupações globais. Para o secretário-geral da Organização, António Guterres, não há tempo a perder com as mudanças climáticas, o aumento da desigualdade, do ódio e da intolerância, entre muitos desafios alarmantes nas áreas de segurança e paz. Ele pediu ambição e ação durante as discussões dos próximos dias.

Em seu Twitter, Guterres reforçou a mensagem aos líderes mundiais que participarão da Assembleia Geral: “Coloquem em primeiro lugar as pessoas: suas necessidades, suas aspirações, seus direitos”, escreveu.

“O maior desafio que líderes e instituições enfrentam é mostrar às pessoas que nos importamos e mobilizar soluções para responder a ansiedade das pessoas com respostas. A próxima semana de encontros de alto nível é destinada a fazer exatamente isto”, afirmou Guterres a jornalistas.

Para o secretário-geral, a semana de alto nível – que começa na segunda-feira, com a Cúpula de Ação do Clima – é uma excelente oportunidade para colocar as Nações Unidas como o ponto central para soluções e fio condutor para uma mudança positiva e significativa na vida das pessoas. “Serão dezenas de cúpulas, encontros e eventos paralelos. Mas ainda resumo o significado de todas estas discussões em duas palavras: ambição e ação”, declarou.

António Guterres disse que vários planos para reduzir drasticamente as emissões de carbono durante a próxima década e alcançar a neutralidade até 2050 deverão ser revelados nos encontros. Ele adicionou que a ONU está fazendo sua parte, incluindo o anúncio da iniciativa da Ação do Clima para Empregos, feita pela Organização Internacional do Trabalho (OIT) em conjunto com Espanha e Peru.

As outras quatro cúpulas tratarão de cobertura universal de saúde, Objetivos de Desenvolvimento Sustentável e financiamento para o desenvolvimento dos estados em pequenas ilhas