Guterres afirma que OMS tem papel crítico na luta contra a COVID-19

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, afirmou que a Organização Mundial da Saúde (OMS) deve ser apoiada em todo o mundo porque tem um papel crítico nos esforços para vencer a guerra contra a COVID-19.

Em nota distribuída nesta quarta-feira (8), Guterres reforçou a importância do trabalho da agência da ONU e lembrou que o tempo agora é de união e solidariedade da comunidade internacional.

Secretário-geral da ONU, António Guterres, e o director geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, em Genebra (arquivo) Foto: Jean Marc Ferre/ONU

Secretário-geral da ONU, António Guterres, e o director geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, em Genebra (arquivo) Foto: Jean Marc Ferre/ONU

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, afirmou que a Organização Mundial da Saúde (OMS) deve ser apoiada em todo o mundo porque tem um papel crítico nos esforços para vencer a guerra contra a COVID-19.

Em nota distribuída nesta quarta-feira (8), Guterres reforçou a importância do trabalho da agência da ONU e lembrou que o tempo agora é de união e solidariedade da comunidade internacional.

Leia a íntegra da nota:

“A pandemia da COVID-19 é um dos mais desafios mais perigosos que o mundo já enfrentou na nossa vida. É, acima de tudo, uma crise humana com severas consequências de saúde e socioeconômicas.

A Ogrganiação Mundial da Saúde, com milhares de servidores, está na linha de frente, apoiando os estados-membro e suas sociedades, especialmente os mais vulneráveis, com orientação, treinamento, equipamento e serviços concretos que salvam vidas enquanto lutam contra o vírus.

Eu testemunhei em primeira mão a coragem e a determinação do pessoal da OMS quando visitei a República Democrática do Congo no ano passado, onde os servidores da Organização estavam trabalhando em condições precárias e em lugares perigosamente remotos enquanto lutavam contra o letal vírus Ebola. Foi um notável sucesso para o OMS que nenhum caso novo de Ebola tem sido registrado em meses.

É minha crença que a Organização Mundial de Saúde deva ser apoiada e é absolutamente crítica para os esforços do mundo para ganhar a guerra contra a COVID-19.

Este virus não tem precedentes na nossa existência e requer resposta sem precedentes. Obviamente, em tais condições, é possível que os mesmos fatos tenham diferentes leituras por diferentes entidades. Quando tivermos finalmente virado a página desta epidemia, haverá tempo para olhar para atrás e compreender totalmente como esta doença apareceu e espalhou sua devastação tão rapidamente através do globo, e como todos os envolvidos reagiram à crise. As lições aprendidas serão essenciais para efetivamente lidar com desafios semelhantes, na medida em que eles aparecerem no futuro.

Mas agora não é esta hora. Agora é tempo para união, para a comunidade internacional trabalhar junto em solidariedade para parar este vírus e suas consequências devastadoras.”