Guiné-Bissau: Em meio a protestos, Ban Ki-moon pede diálogo e fim do impasse político

Chefe da ONU observou que a prolongada crise política está afetando gravemente o funcionamento das instituições do país e minando as perspectivas de desenvolvimento socioeconômico.

Crianças da região de Quinara, Guiné-Bissau. UNICEF / Roger LeMoyne

Crianças da região de Quinara, Guiné-Bissau. UNICEF / Roger LeMoyne

Em meio aos recentes protestos na Guiné-Bissau, o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, pediu a todos os atores políticos para que ajam de forma responsável, se abstenham da violência e evitem uma piora da situação, resolvendo suas diferenças através do diálogo.

Após a decisão do presidente de nomear um novo primeiro-ministro, e os consequentes protestos da oposição, um comunicado emitido pelo porta-voz de Ban Ki-moon afirmou que o secretário-geral está “profundamente preocupado’ com a situação na Guiné-Bissau.

De acordo com o comunicado, o chefe da ONU observou que a prolongada crise política na Guiné-Bissau está afetando gravemente o funcionamento das instituições do país e minando as perspectivas de desenvolvimento socioeconômico.

“Ele apela a todos os atores políticos que ponham um fim urgentemente ao impasse em curso, seguindo os interesses do povo da Guiné-Bissau e com base na Constituição do país”, disse o comunicado.

Ban também saudou o profissionalismo da forças armadas nacionais no cumprimento de seus deveres, aconselhando que continuem a agir de forma responsável.