Guerra civil síria se intensificou ‘de forma indiscriminada e desproporcional’, afirma ONU

Refugiado sírio segura seu filho bebê no Iraque. Foto: ANCUR/N. Potro

A cultura da impunidade continua crescendo dentro da Síria, disse nesta terça-feira (17) em Genebra (Suíça) o presidente da Comissão de Inquérito da ONU para os crimes na Síria, o brasileiro Paulo Sérgio Pinheiro, exortando a comunidade internacional a intensificar os esforços para acabar com a guerra.

Falando aos membros do Conselho de Direitos Humanos, Pinheiro advertiu que a guerra civil síria se intensificou “de forma indiscriminada e desproporcional”, assim como as violações dos direitos humanos.

“A maneira como esta guerra tem sido travada, em áreas urbanas, levanta muitas questões”, disse. “O armamento e financiamento das partes em conflito, agravado pelo fluxo de combatentes estrangeiros, alimenta a ilusão de que a vitória militar é possível. A impunidade encoraja os autores das atrocidades e as armas dão coragem para eles.”

Criada pelo Conselho de Segurança da ONU para investigar e registrar todas as violações dos direitos humanos, a Comissão Internacional Independente de Inquérito sobre a Síria também está encarregada de investigar denúncias de crimes contra a humanidade e crimes de guerra, com o seu mandato recentemente expandido para incluir “as investigações de todos os massacres”.