Governo do Brasil anuncia doação de 25 milhões de reais para combater ebola

Unidade de tratamento de ebola em Serra Leoa. Foto: ONU/Ari Gaitanis

O governo brasileiro anunciou uma doação de 25 milhões de reais a agências das Nações Unidas para combate ao vírus do ebola e apoio à população em Guiné, Libéria e Serra Leoa.

De acordo com nota emitida pelos Ministérios das Relações Exteriores e da Saúde, cerca de 50% desse montante destina-se à Organização Mundial da Saúde (OMS), para atenção às populações infectadas e medidas de controles da infecção; aproximadamente 26%, ao Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR), para a prestação de serviços básicos, inclusive de saúde, às populações; cerca de 18%, ao Programa Mundial de Alimentos (PMA), com vistas a contribuir para o financiamento do transporte e da distribuição de 6.300 toneladas de arroz e 4.500 toneladas de feijão já oferecidas pelo Brasil; e aproximadamente 6%, para o Fundo Fiduciário que ajuda a financiar a Missão das Nações Unidas de Resposta Emergencial ao Ebola (UNMEER), mecanismo coordenador das esforços das diversas agências da ONU envolvidas no combate àquela enfermidade.

A medida anunciada soma-se a doação de 1 milhão de reais repassado à OMS e 2 milhões de reais à Organização Pan-americana da Saúde (OPAS), recursos enviados em novembro deste ano, também para o combate ao ebola.

Além dos recursos financeiros, o Brasil enviou, em junho deste ano, 24 kits, num total de seis toneladas, com medicamentos e insumos aos três países afetados pela epidemia. Cada um dos kits é suficiente para atender cerca de 500 pessoas durante três meses e contem 30 tipos de medicamentos, incluindo antibióticos e anti-inflamatórios, e 18 insumos para primeiros-socorros, como luvas e máscaras. Quatro kits foram destinados para a Guiné, cinco para Serra Leoa e cinco para a Libéria, além de outros 10 enviados à OMS para distribuição.

Na nota, o governo brasileiro renova sua solidariedade com os povos e os governos da Guiné-Conacri, da Libéria e de Serra Leoa e reafirma sua intenção de continuar a contribuir com os esforços internacionais para prestar toda a assistência possível às populações afetadas pelo vírus do ebola.