Gestão em saúde deve priorizar grupos mais vulneráveis, defende Fundo de População da ONU

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

Governantes e gestores precisam estar atentos às determinantes sociais da saúde, defendeu nesta terça-feira (5) o representante do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) no país, Jaime Nadal. Em participação na abertura da I Mostra de Experiências Inovadoras do SUS no Distrito Federal, no Instituto Serzedello Corrêa, o dirigente ressaltou que governos precisam priorizar grupos mais vulneráveis, entre eles, as mulheres, jovens e adolescentes.

UNFPA participa de cerimônia de abertura de mostra de experiências inovadoras no SUS do DF. Foto: UNFPA Brasil/Beatriz Sabo

UNFPA participa de cerimônia de abertura de mostra de experiências inovadoras no SUS do DF. Foto: UNFPA Brasil/Beatriz Sabo

Governantes e gestores precisam estar atentos às determinantes sociais da saúde, defendeu nesta terça-feira (5) o representante do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) no país, Jaime Nadal. Em participação na abertura da I Mostra de Experiências Inovadoras do SUS no Distrito Federal, no Instituto Serzedello Corrêa, o dirigente ressaltou que governos precisam priorizar grupos mais vulneráveis, entre eles, as mulheres, jovens e adolescentes.

Ao longo do evento, serão apresentadas 193 iniciativas e metodologias — selecionadas a partir de 575 trabalhos inicialmente inscritos para participação — implementadas na rede pública de saúde do DF. O UNFPA apoia a realização do encontro.

Nadal elogiou as experiências de sucesso no SUS, descritas pelo especialista como “fruto do engajamento de profissionais de saúde e gestores que buscam uma atenção de qualidade à população do Distrito Federal”.

“Sabemos que, para alcançar o desenvolvimento sustentável, inclusivo e equitativo, precisamos enfrentar e resolver os condicionantes sociais da saúde e priorizar os segmentos mais vulneráveis da população, entre eles, as mulheres, jovens e adolescentes”, completou o representante.

Organizada para reconhecer e divulgar projetos exitosos, a mostra também visa estimular a transferência de conhecimento e de tecnologias entre as áreas da saúde e outros setores.

Até o próximo domingo (10), servidores participam de apresentações competitivas de trabalhos, divididos em sete categorias: atenção primária à saúde e vigilância em saúde; regionalização e conformação das redes de atenção à saúde; regionalização e aplicação das ferramentas de planejamento; participação social; gestão do trabalho e da educação em saúde no âmbito do SUS no DF; desenvolvimento e aplicação de tecnologias para qualificação da assistência e da gestão do SUS no DF; voluntariado e parcerias com organizações não governamentais.


Mais notícias de:

Comente

comentários