Gael García Bernal: um jaguar na campanha da ONU contra tráfico ilegal de espécies selvagens

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

O ator mexicano Gael García Bernal se uniu à supermodelo Gisele Bündchen e ao jogador Neymar Jr na campanha ‘Feroz pela Vida’, da ONU, para colocar um fim ao tráfico ilegal de espécies selvagens, que movimenta 23 milhões de dólares por ano. Participe da campanha escolhendo uma espécie ameaçada de extinção e compartilhando uma foto nas redes sociais.

Gael García Bernal se uniu à ONU Meio Ambiente na luta contra a extinção de animais e plantas. Imagem: PNUMA

No Dia Mundial da Vida Selvagem – 3 de março –, o ator mexicano Gael García Bernal se uniu à supermodelo Gisele Bündchen, ao jogador Neymar Jr. e a outras celebridades mundiais na campanha Feroz pela Vida, da ONU Meio Ambiente, para colocar um fim ao tráfico ilegal de espécies.

O comercio ilegal de vida selvagem enriquece redes criminais com cerca de 23 milhões de dólares anuais, colocando este tipo de negócio no mesmo nível do tráfico de drogas, armas e pessoas.

A campanha começou em maio de 2016, com o objetivo de mobilizar as pessoas para que se comprometam contra o comércio ilegal de espécies selvagens. Cada celebridade representa uma espécie ameaçada pelo tráfico. Acesse o site da campanha em wildfor.life/pt.

Gael García Bernal escolheu representar um jaguar na campanha. “É incrível que hoje em dia exista gente que cace os jaguares pela pele ou esporte. Com a caça proibida e perda de habitat, a população de jaguares tem diminuído de forma alarmante, fazendo-nos testemunhas e cúmplices de sua extinção”, afirmou o ator.

“Farei todo o possível para deter isto e garantir a vida do jaguar, assim como as espécies de plantas e animais que dependem de sua existência. O jaguar é um animal belo, libre e indomável, símbolo espiritual do ser humano”, lembrou Bernal.

No ano passado, a supermodelo Gisele Bündchen escolheu a tartaruga marinha e o jogador de futebol Neymar Jr. e o cantor Miguel Bosé escolheram o tigre. Neste ano, o ator Aidan Gallagher selecionou a arara azul e o ator indonésio Hamish Daud o urso malaio, enquanto a atriz chinesa LI Bingning, que regressa à campanha, escolheu o antílope tibetano.

A companhia aérea internacional do Quênia, Kenya Airways, anunciou colaboração com a ONU Meio Ambiente para acabar com uma das principais rotas de transporte da África para o Oriente Médio e leste asiático. “O compromisso das empresas do setor privado é fundamental para combater os crimes contra a vida selvagem. As empresas aéreas, em particular, podem conectar uma ampla base de consumidores globais e, lamentavelmente, à cadeia de fornecimento ilegal. Por isso, podem atuar como agentes de primeira linha para promover a mudança”, afirmou Erik Solheim, diretor-executivo da ONU Meio Ambiente.

A Kenya Airways voa para 51 destinos internacionais e tem uma política de tolerância zero com o comércio ilegal de vida selvagem, trabalhando em estreita colaboração com governos e agências de cooperação, em especial no Aeroporto Internacional Jomo Kenyatta, em Nairobi, ajudando a garantir que produtos ilegais de vida selvagem não sejam transportados em suas aeronaves.

Agora, a empresa vai redobrar os esforços e trabalhar com a ONU Meio Ambiente para enviar uma mensagem permanente de prevenção do crime contra a vida selvagem nos pontos de contato com os clientes, como serviços de entretenimento e anúncios durante o vôo, assim como na capacitação de pessoal. “Todos temos a responsabilidade de ajudar a preservar a vida selvagem e é imperativo que cada um de nós se envolva mais no combate deste crime”, afirmou Mbuvi Ngunze, diretor geral do Grupo Kenya Airways.

Jovens

“A caça e o comércio ilegal são uma grande ameaça à vida selvagem, especialmente das espécies mais ameaçadas e simbólicas”, afirmou o secretário-Geral da ONU, António Guterres, em mensagem sobre o dia, que neste ano tem o tema “Ouça a voz dos jovens”. Ele apelou para que os jovens se informem e atuem para proteger os animais e plantas selvagens da ameaça de extinção.

Já a diretora-geral da UNESCO, Irina Bokova, lembrou que os jovens têm um papel fundamental como agentes de mudança e futuros guardiões das espécies ameaçadas. Em 20 de dezembro de 2013, a Assembleia Geral da ONU decidiu proclamar 3 de março como Dia Mundial da Vida Selvagem.

Também por ocasião da data, o chefe do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crime (UNODC), Yury Fedotov, pediu “a todos os países que criminalizem a posse de espécies silvestres ilegalmente oriundas de qualquer parte do mundo”. “Penalidades devem ser apropriadas para um crime sério (como esse) e devem servir para impedir (novos crimes)”, disse.

O dirigente alertou ainda que a humanidade “não terá uma segunda chance” para evitar a extinção de espécies selvagens ameaçadas.

Participe!

Acabar com o comércio ilegal da vida selvagem envolve o compromisso de todos, desde governos até o setor privado, e a dedicação daqueles que previnem a caça ilegal. Além disso, é essencial educar e motivar cidadãos, que como consumidores são responsáveis por impulsionar a demanda por vida selvagem, para que tomem decisões que não afetem as espécies ameaçadas de extinção.

Há inúmeros exemplos de decisões de compra que estão conduzindo muitas espécies para a extinção: desde a aquisição de chifres de rinocerontes, e marfim de elefantes até a compra de animais vivos, como macacos e papagaios.

Desde o lançamento, a campanha Feroz pela Vida já envolveu 35 celebridades, alcançando mais de um bilhão de pessoas e gerando mais de 4,5 milhões de interações nas redes sociais. Mais de 45 mil pessoas escolheram uma espécie no site da campanha. Para participar, clique aqui e escolha um animal para aparecer com você em uma foto e a compartilhe nas redes sociais.


Mais notícias de:

Comente

comentários