Fundo de População da ONU realiza formação com jovens em Boa Vista (RR)

O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) realizou nesta sexta-feira (21) uma atividade de formação com jovens integrantes do projeto Bora Saber, que promove a testagem por fluido oral para HIV em Boa Vista (RR).

Durante a formação, ocorreram atividades para incentivar o empoderamento dos jovens para que representem seus pares e suas comunidades em espaços de construção de políticas públicas. O grupo ainda debateu sobre a Declaração Universal de Direitos Humanos, a reforma sanitária e o processo de criação do Sistema Único de Saúde (SUS).

Integrantes do projeto Bora Saber participaram de formação. Foto: UNFPA

O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) realizou nesta sexta-feira (21) uma atividade de formação com jovens integrantes do projeto Bora Saber, que promove a testagem por fluido oral para HIV em Boa Vista (RR). O projeto funciona com a dinâmica de testagem por pares, que consiste na atuação de jovens voluntários que realizam diálogos e testagem com os outros jovens em suas respectivas comunidades.

O programa tem apoio do Ministério da Saúde e foi realizado em parceria com a Associação Bem com a Vida (ABV), a Secretaria Municipal de Saúde (SMSA), e a Secretaria de Estado da Saúde de Roraima (SESAU). O UNFPA financia o programa e realiza apoio técnico.

O chefe de escritório do UNFPA em Boa Vista, Igo Martini, esteve presente na abertura das atividades e agradeceu aos jovens presentes pelo trabalho realizado.

Na atividade de formação, o oficial de programa do UNFPA, Caio Oliveira, dialogou com os e as jovens do Bora Saber, com o objetivo central de empoderar os e as participantes do projeto para que representem seus pares e suas comunidades em espaços de construção de políticas públicas. Também reforçou a importância do protagonismo juvenil no desenvolvimento sustentável, e como formadores e formadoras de opinião e agentes políticos em seus territórios.

Ele explicou que a prevenção de Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs) é um dos pilares do UNFPA, lembrando que a incidência de novos casos de HIV triplicou nos últimos 10 anos entre a população jovem. Entre as causas, destacou a deficiência de acesso à informação sobre a prevenção de ISTs, inclusive nas escolas.

A conversa ainda abordou o surgimento das Nações Unidas no contexto do pós-guerra e quais os objetivos do Fundo de População da ONU. “Nosso objetivo é que toda gravidez seja planejada, todo parto seja seguro e que toda pessoa jovem desenvolva seu pleno potencial”, explicou o oficial de programa do UNFPA.

O grupo ainda debateu sobre a Declaração Universal de Direitos Humanos, e como ela foi importante para o desenho da Constituição da República Federativa do Brasil de 1988 (documento destinado a assegurar o exercício dos direitos sociais e individuais no país), além do processo de reforma sanitária no Brasil, a criação do Sistema Único de Saúde (SUS) e a sua importância para a sociedade. Foi reforçado o papel das pessoas jovens nos processos de participação, como os Conselhos de Saúde e como referência e apoio para outras pessoas jovens, no âmbito do projeto, tanto como multiplicadores de informação nos processos de testagem de HIV.

Segundo a diretora da ABV, Ana Cristina Carvalho, sem o Fundo de População da ONU seria impossível a realização do projeto. “A gente ficou muito feliz quando o UNFPA nos convidou. Sem esse projeto, estaríamos com as atividades da testagem paralisadas. Ficamos felizes porque temos um prazer enorme de realizar essa ação”.