Fundo de População da ONU promove atividades com venezuelanas pelo fim da violência contra mulheres

Em marco à campanha global dos 16 dias de ativismo pelo fim da violência contra a mulher, escritórios do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) em Roraima e em Manaus promoveram atividades com mulheres venezuelanas para abordar o tema dentre a população refugiada e migrante vivendo no país.

Atividades envolveram parceiros e demais agências do sistema ONU no Brasil, como a ONU Mulheres e a Agência das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR), e incluíram oficina de fotografia, exposição de retratos, rodas de conversa e debates sobre saúde sexual e reprodutiva. Segundo o chefe de escritório do UNFPA em Roraima, Igo Martini, “mulheres e meninas defensoras dos direitos humanos deram visibilidade às suas lutas de todos os dias”.

Em Pacaraima, cidade na fronteira entre os dois países que concentra grande parte do fluxo migratório, uma dos encontros promovidos pela agência foi uma roda de conversa com homens para debater masculinidades e combater à violência baseada em gênero em suas comunidades.

Venezuelanas abrigadas nos espaços da Operação Acolhida participaram de uma oficina de fotografia promovida pela agência. Foto: UNFPA/Yareidy Perdomo.

Venezuelanas abrigadas nos espaços da Operação Acolhida participaram de uma oficina de fotografia promovida pela agência. Foto: UNFPA/Yareidy Perdomo.

No marco da mobilização anual dos 16 dias de ativismo pelo fim da violência contra as mulheres, os escritórios do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) em Pacaraima e em Boa Vista, no estado de Roraima; e em Manaus, no estado do Amazonas, organizaram e participaram de diversas atividades com a população refugiada e migrante do fluxo migratório proveniente da Venezuela.

Agências do sistema das Nações Unidas e parceiros na assistência humanitária fizeram parte das atividades da campanha, aproximando a comunidade abrigada nos espaços da Operação Acolhida ao debate e à luta pelo fim da violência contra as mulheres.

Roraima

  • Oficina de retrato e imagem da mulher
Oficina foi realizada pelo Fundo de População das Nações Unidas, em parceria com a ONU Mulheres, o ACNUR, AVSI Brasil e o Conselho Norueguês para os Refugiados (NRC). Foto: UNFPA.

Oficina foi realizada pelo Fundo de População das Nações Unidas, em parceria com a ONU Mulheres, o ACNUR, AVSI Brasil e o Conselho Norueguês para os Refugiados (NRC). Foto: UNFPA.

Em encontro, mães e filhas venezuelanas, abrigadas nos espaços da Operação Acolhida, tiveram a oportunidade de debater sobre os estereótipos da imagem da mulher, e também mergulhar na própria imagem por meio da realização de ensaios fotográficos.

Os retratos resultados da oficina foram apresentados numa exposição fotográfica, como parte das atividades de encerramento da campanha, no último dia 10 de dezembro, Dia Internacional dos Direitos Humanos.

A oficina foi realizada pelo Fundo de População das Nações Unidas, em parceria com a ONU Mulheres, a Agência das Nações Unidas para Refugiados (ACNUR), AVSI Brasil e o Conselho Norueguês para os Refugiados (NRC).

Os retratos resultados da oficina fizeram parte de uma exposição fotográfica. Foto: UNFPA.

Os retratos resultados da oficina fizeram parte de uma exposição fotográfica. Foto: UNFPA.

“Foram um pouco mais de 16 dias de ativismo, durante os quais organizamos e participamos de diversas atividades”, comentou Igo Martini, chefe de escritório do UNFPA em Roraima.

“Todas as ações foram realizadas de forma coordenada e integrada com a sociedade civil local, organizações internacionais e o sistema ONU, presentes em Roraima. Nessas últimas semanas, mulheres e meninas defensoras dos direitos humanos deram visibilidade às suas lutas de todos os dias”, pontuou Martini.

Na fronteira

  • Roda de conversa sobre saúde sexual e reprodutiva e masculinidades
Roda de conversa com homens visou discutir a violência baseada em gênero e disseminar informações sobre saúde sexual e reprodutiva. Foto: UNFPA.

Roda de conversa com homens visou discutir a violência baseada em gênero e disseminar informações sobre saúde sexual e reprodutiva. Foto: UNFPA.

A atividade na cidade entre fronteiras foi realizada na Comunidade Batista de Pacaraima com dez pessoas do gênero masculino sobre questões de masculinidade, violência baseada em gênero, e saúde sexual e reprodutiva.

A roda de conversa também teve como objetivo motivar os participantes a serem replicadores da mensagem na comunidade local. Durante o encontro, foi trabalhado os mitos e as verdades sobre a questão de gênero, os tipos de violência baseada em gênero, bem como informações sobre infecções sexualmente transmissíveis (IST) e HIV/AIDS.

A Comunidade Batista de Pacaraima acolhe migrantes e refugiados oriundos da Venezuela com alojamento, alimentação, apoio espiritual e lições de empreendedorismo.

A atividade foi realizada pelo Fundo de População da ONU, em parceria com o ACNUR.

Amazonas

  • Rodas de conversa sobre violência baseada em gênero
Em Manaus, mulheres e meninas a partir de 12 anos receberam orientações sobre o acesso à rede pública de atenção e enfrentamento à violência baseada em gênero. Foto: UNFPA.

Em Manaus, mulheres e meninas a partir de 12 anos receberam orientações sobre o acesso à rede pública de atenção e enfrentamento à violência baseada em gênero. Foto: UNFPA.

Na capital do Amazonas, os encontros foram realizados para grupos de mulheres entre 12 e 21 anos em processo de pré-interiorização, nos espaços de Alojamento de Trânsito de Manaus (ATM).

Nas atividades, foram compartilhadas informações básicas sobre o acesso à rede pública de atenção e enfrentamento à violência baseada em gênero, como serviços de saúde, segurança, justiça, apoio psicossocial e denúncia (como o Disque 180), com ênfase nas cidades de destino (nessa oportunidade: São Paulo, Rio de Janeiro, Goiânia, Dourados, João Pessoa, Florianópolis, entre outras).

Foram também abordadas questões referentes à violência sexual.

Saiba mais sobre a campanha dos 16 Dias de Ativismos Pelo Fim da Violência Contra as Mulheres aqui.