Fundo de População da ONU mobiliza R$467 mil para enfrentamento da COVID-19 no Brasil

Representante do UNFPA no Brasil, Astrid Bant, em visita a Manaus para conhecer trabalho de assistência humanitária a pessoas refugiadas e migrantes. Foto: UNFPA

O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) no Brasil está mobilizando 90,3 mil dólares, ou aproximadamente 467,2 mil reais, de recursos próprios em ações de curto e médio prazo para enfrentamento à pandemia de COVID-19.

O foco é nas populações mais vulneráveis, no apoio aos serviços de saúde sexual e reprodutiva e prevenção da violência contra a mulher. Os recursos também serão direcionados a fomentar análises do impacto da doença em termos populacionais.

Em tempos de crises, pandemias e emergências humanitárias, os serviços de saúde sexual e reprodutiva, que incluem pré-natal, saúde materna e parto seguro, podem ser seriamente afetados. Além disso, as medidas de restrição e isolamento, combinadas às desigualdades de gênero existentes, podem culminar em aumento da violência doméstica.

“Esse é o momento de arregaçar as mangas, fortalecer as redes de apoio e garantir dignidade e proteção a pessoas que muitas vezes são invisibilizadas. Não se pode deixar ninguém para trás, sobretudo agora. A resposta do Fundo de População da ONU está sendo reorganizada de forma a diminuir os impactos desta pandemia e vamos trabalhar, juntos e juntas, para vencê-la”, afirma a representante do Fundo de População da ONU no Brasil, Astrid Bant.

O Fundo de População da ONU trabalha para garantir os direitos das mulheres grávidas, de pessoas idosas, pessoas com deficiência, pessoas migrantes e refugiadas, pessoas vivendo com HIV, entre outras que estão em situação de vulnerabilidade.

Por isso, parte dos recursos investidos, neste momento, serão direcionados para o fornecimento de Kits Dignidade e cestas básicas a essas populações durante a pandemia. Os Kits Dignidade contêm artigos de higiene pessoal, como papel higiênico, sabonete e álcool em gel, e também de higiene íntima, como absorventes.

Uma parte dos recursos também será direcionada para a produção de análises sobre os impactos da COVID-19 no país sob o ponto de vista populacional, para saber, por exemplo, quem são as pessoas mais afetadas e onde estão. Essas análises permitirão nortear políticas públicas mais efetivas, estudar os efeitos da pandemia e fomentar o desenvolvimento onde será mais necessário.

As ações do UNFPA frente à pandemia vão além e a agência também dialoga diretamente com governos, sociedade civil e parceiros para melhorar os serviços em saúde sexual e reprodutiva e prevenção da violência baseada em gênero. Algumas das preocupações nesse momento são manter os atendimentos de pré-natal, parto e saúde neonatal funcionando com segurança para mulheres grávidas, e preservar os serviços de proteção a vítimas de violência doméstica.

A equipe do Fundo de População da ONU no Brasil também está trabalhando para mobilizar mais recursos e firmar parcerias estratégicas para fortalecer a resposta da instituição diante da pandemia.