Fundo de População da ONU e parceiros visitam projetos humanitários para venezuelanos em Roraima

Uma comitiva de parceiros do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e o representante da agência, Jaime Nadal, visitaram Boa Vista (RR) nesta semana para acompanhar atividades de assistência humanitária a refugiados e migrantes venezuelanos. O grupo teve a oportunidade de conhecer as ações coordenadas pela Universidade Federal do estado, a UFRR, um dos primeiros órgãos públicos da região a se envolver diretamente no auxílio aos estrangeiros.

À extrema esquerda, o representante do UNFPA no Brasil, Jaime Nadal, ao lado de parceiros do Exército brasileiro e missões diplomáticas. Foto: UNFPA/Samara Cordeiro

À extrema esquerda, o representante do UNFPA no Brasil, Jaime Nadal, ao lado de parceiros do Exército brasileiro e missões diplomáticas. Foto: UNFPA/Samara Cordeiro

Uma comitiva de parceiros do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) e o representante da agência, Jaime Nadal, visitaram Boa Vista (RR) nesta semana para acompanhar atividades de assistência humanitária a refugiados e migrantes venezuelanos. O grupo teve a oportunidade de conhecer as ações coordenadas pela Universidade Federal do estado, a UFRR, um dos primeiros órgãos públicos da região a se envolver diretamente no auxílio aos estrangeiros.

Entre os integrantes da delegação, estavam o embaixador da Espanha no Brasil, Fernando Casas, o conselheiro da embaixada espanhola, Pedro Cortegoso, e o diretor da Organização dos Estados Ibero-Americanos (OEI), Raphael Callou.

O reitor da UFRR, Jefferson Fernandes do Nascimento, recebeu a comitiva e apresentou o trabalho da instituição de ensino no acolhimento dos venezuelanos. No campus universitário, funciona o Centro de Referência de Atendimento ao Imigrante, que oferece orientações e encaminhamento para serviços de saúde, além de suporte jurídico e psicológico.

O gestor da universidade também ressaltou a intenção de incluir a população refugiada na rotina acadêmica, com a oferta de vagas ociosas aos que se encontram nessa condição. A abertura dessas oportunidades seria feita após os processos tradicionais de seleção dos alunos. A medida, de acordo com Nascimento, já foi aprovada pelo Conselho Universitário.

O representante do UNFPA e demais parceiros acompanharam ainda o trabalho de agências do Sistema ONU nos abrigos Pintolândia e Rondon 3.

Delegação conheceu ações humanitárias realizadas por órgãos públicos e agências da ONU em Boa Vista (RR). Foto: UNFPA/Samara Cordeiro

Delegação conheceu ações humanitárias realizadas por órgãos públicos e agências da ONU em Boa Vista (RR). Foto: UNFPA/Samara Cordeiro

Presente em Roraima desde o princípio da Operação Acolhida, o UNFPA é o organismo das Nações Unidas responsável por prevenir e combater a violência baseada em gênero. O Fundo de População também tem a missão de garantir o acesso à saúde sexual e reprodutiva. Acompanhando o fluxo migratório na fronteira com a Venezuela, a agência atua para garantir a dignidade e os direitos dos recém-chegados ao Brasil, especialmente os mais vulneráveis, como mulheres, meninas, pessoas LGBTI, idosas e com deficiência.

Em Boa Vista e no município de Pacaraima, localizado a 250 km da capital, o UNFPA promove oficinas de enfrentamento ao abuso sexual, além de distribuir kits de higiene pessoal, preservativos femininos e masculinos, gel lubrificante e outros produtos de saúde sexual e reprodutiva.

Interiorização

Desde o ano passado, uma bem-sucedida operação — coordenada pelo Exército Brasileiro e apoiada desde os primeiros passos pelo UNFPA, organizações da sociedade civil e governo federal — tem recebido e interiorizado os venezuelanos. A Operação Acolhida já atendeu 6 mil refugiados e migrantes, que receberam abrigo e também emprego em 86 cidades brasileiras.

A Operação Acolhida, coordenada pelo Exército brasileiro, tem o apoio do UNFPA. Foto: UNFPA/Samara Cordeiro

A Operação Acolhida, coordenada pelo Exército brasileiro, tem o apoio do UNFPA. Foto: UNFPA/Samara Cordeiro

O coordenador operacional da estratégia, o general Eduardo Pazuello, e seu adjunto, Georges Feres Kanaan, foram homenageados pelo UNFPA no Brasil e receberam de Jaime Nadal dois diplomas em reconhecimento à atuação na promoção e defesa dos direitos humanos.

De acordo com dados da Polícia Federal, 199,3 mil cidadãos venezuelanos entraram no Brasil entre 2017 e 2018. Desse grupo, 44% eram mulheres. Metade desses refugiados e migrantes já foram embora, mas cerca de 100 mil permanecem em terras brasileiras.


Comente

comentários