Fundo de População da ONU e IBGE apoiam institutos de estatística africanos na coleta eletrônica de dados

Dados estatísticos confiáveis e de qualidade são fundamentais para a identificação da realidade de cada país e para a elaboração de políticas públicas relacionadas à Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável.

A conclusão é de participantes do curso de capacitação de técnicos dos institutos de estatísticas de Senegal e de Cabo Verde, realizada por uma parceria entre a Agência Brasileira de Cooperação (ABC), o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA).

Este slideshow necessita de JavaScript.

Dados estatísticos confiáveis e de qualidade são fundamentais para a identificação da realidade de cada país e para a elaboração de políticas públicas relacionadas à Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável.

A conclusão é de participantes do curso de capacitação de técnicos dos institutos de estatísticas de Senegal e de Cabo Verde, realizada por uma parceria entre a Agência Brasileira de Cooperação (ABC), o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) e o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA).

O curso abordou detalhes sobre todas as etapas necessárias para a realização de censos utilizando a coleta eletrônica de dados.

Enquanto no Senegal os técnicos já estão na segunda semana de formações, Cabo Verde realizou na segunda-feira (20), em Praia, capital do país, a cerimônia de abertura das capacitações, ocasião que contou com a presença do ministro dos Negócios Estrangeiros, Luis Felipe Tavares.

Também participaram da abertura Ulrika Richardson, representante-residente das Nações Unidas em Cabo Verde; Osvaldo Borges, presidente do Instituto Nacional de Estatística; Cynthia Damasceno, representante do IBGE; e Ricardo Leal, ministro-conselheiro da embaixada do Brasil em Cabo Verde.

A importância da coleta e do rápido acesso a dados estatísticos de qualidade foram temas destacados pelos presentes como importantes para a realização de censos com coleta eletrônica.

Na medida em que agendas nacionais, regionais e internacionais — como a Agenda 2030 — requerem informações cada vez mais complexas e abrangentes, os censos eletrônicos tornam-se ferramentas importantes dos governos para a elaboração de planos de ação e políticas públicas mais assertivas e realistas.

Além disso, a coleta eletrônica contribui para o meio ambiente, uma vez que não utiliza papel, e para novas formas de disseminação e acompanhamento de dados.

O projeto de Cooperação Sul-Sul “Centros de Referência em Censos com Coleta Eletrônica de Dados” contribuirá para aumentar o conhecimento dos institutos de estatística do Senegal e de Cabo Verde, de modo que eles se tornem centros de referência no tema e possam compartilhar o conhecimento adquirido com outros países do continente.

No total, 24 técnicos cabo-verdianos estão participando das palestras ministradas por 11 especialistas IBGE que estão no país para o projeto. Cabo Verde, com o apoio do IBGE, foi o primeiro país africano a realizar a coleta de dados totalmente eletrônica, em 2013.

As atividades serão realizadas até 1º de dezembro e, além de um módulo introdutório sobre Cooperação Sul-Sul, abordarão temas como formação de pessoal para censo com coleta eletrônica; mapeamento censitário aplicado à coleta eletrônica; metodologia para uso de coleta eletrônica de dados; questionário eletrônico, acompanhamento e controle; sensibilização da sociedade; e disseminação de dados.

Segundo o UNFPA, o projeto tem potencial de fortalecer as ações que já vêm acontecendo nos países africanos para o levantamento eletrônico de dados, e que serão utilizados no monitoramento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 na região, assim como das metas previstas na Agenda 2063 da União Africana.