Fundo de População da ONU discute direitos reprodutivos em congresso de medicina em Natal

O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) participou no domingo (25) do I Congresso Brasileiro Médico-Estudantil de Habilidades Médicas, realizado em Natal (RN) pela Federação Internacional de Associações de Estudantes de Medicina.

Durante o evento, o UNFPA discutiu maneiras de os futuros médicos contribuírem para o acesso universal à saúde e aos direitos reprodutivos.

Os três eixos de trabalho do programa incluem saúde reprodutiva e direitos de mulheres, adolescentes e jovens e população e desenvolvimento. Foto: Prefeitura de João Pessoa

UNFPA atua na defesa dos direitos de saúde reprodutiva. Foto: Prefeitura de João Pessoa

O Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) participou no domingo (25) do I Congresso Brasileiro Médico-Estudantil de Habilidades Médicas, realizado em Natal (RN) pela Federação Internacional de Associações de Estudantes de Medicina.

Durante o evento, o UNFPA discutiu maneiras de os futuros médicos contribuírem para o acesso universal à saúde e aos direitos reprodutivos.

Alguns pontos-chave do mandato da agência das Nações Unidas foram destaque no evento, como gravidez na adolescência, violência obstétrica, planejamento familiar, ampliação de cuidados às mulheres, adolescentes e jovens, e necessidade de mais informações e educação em saúde sexual e reprodutiva.

Além disso, reiterou-se a máxima do mandato de que “todos tem direito a um tratamento humanizado sem preconceitos e sem nenhuma discriminação de raça, cor, idade, orientação sexual, estado de saúde ou nível social”.

O UNFPA também enfatizou aos futuros médicos a importância de estabelecer mudanças de atitudes e o desenvolvimento de habilidades para a promoção e assistência à saúde na perspectiva da diversidade sexual, equidade de gênero, fim da violência contra a mulher e, sobretudo, a garantia de direitos.

Estiveram presentes mais de 130 estudantes de medicina oriundos de Santa Catarina, Rio Grande do Norte, Pará, Pernambuco, Paraíba, Paraná, Piauí, Sergipe, Bahia, Alagoas.