Fundo de População da ONU começa nova etapa de projeto para coleta eletrônica de dados na África

Teve início nesta terça-feira (20) a segunda etapa de um projeto do Brasil e da ONU para aprimorar a coleta de dados censitários no Senegal e em Cabo Verde. Em 2017, cerca de 50 técnicos dos dois países africanos receberam capacitação para trabalharem na criação de centros de referência em coleta eletrônica de estatísticas.

Países africanos têm buscado cooperação técnica com IBGE. Foto: EBC

Países africanos recebem apoio do IBGE para implementar coleta eletrônica de dados. Foto: EBC

Teve início nesta terça-feira (20) a segunda etapa de um projeto do Brasil e da ONU para aprimorar a coleta de dados censitários no Senegal e em Cabo Verde. Em 2017, cerca de 50 técnicos dos dois países africanos receberam capacitação para trabalharem na criação de centros de referência em coleta eletrônica de estatísticas.

Até a próxima sexta-feira (23), a cidade cabo-verdiana de Praia sedia duas reuniões sobre os rumos do programa. Na pauta, estão a estratégia de divulgação da iniciativa; o estabelecimento de novas parcerias; e também propostas para a replicação da metodologia de formação em outros países africanos.

Uma comitiva brasileira participa dos encontros, formada por integrantes do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), da Agência Brasileira de Cooperação (ABC) e do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). As três instituições são responsáveis pelo projeto, ao lado da Agência Nacional de Estatística e Demografia do Senegal e do Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde.

“Acreditamos que a implementação de censos eletrônicos e a coleta de dados vai contribuir para o avanço do cumprimento dos objetivos estabelecidos na Agenda 2030. Além disso, essa união de esforços e conhecimento representa uma importante iniciativa para o acompanhamento e a elaboração de políticas públicas mais efetivas”, defendeu o representante do UNFPA, Jaime Nadal.