Fundo de População da ONU apoia país do Leste Europeu a combater câncer de colo de útero

Na Moldávia, um pequeno país localizado no Leste Europeu, entre a Romênia e a Ucrânia, uma mulher morre de câncer de colo de útero a cada três dias.

Para apoiar o país a prevenir e tratar a doença, o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) tem ajudado as autoridades a estimular a realização de exames e modernizar suas instalações de saúde.

Irina, de 46 anos, não tinha ideia de que estava em risco para a ocorrência do câncer de colo de útero. Por sorte, sua médica pediu um exame para a doença. Foto: UNFPA/Dan Gutu

Irina, de 46 anos, não tinha ideia de que estava em risco para a ocorrência do câncer de colo de útero. Por sorte, sua médica pediu um exame para a doença. Foto: UNFPA/Dan Gutu

Irina Starciac, de 46 anos, tinha certeza de que era saudável. “Nunca tive sintomas que me deixassem preocupadas”, conta a moradora da Moldávia, um pequeno país localizado no Leste Europeu, entre a Romênia e a Ucrânia. Irina teve a sorte de a sua médico da família decidir examiná-la para o câncer de colo do útero em setembro de 2018.

“Eu estava tão segura de que correria tudo bem com os meus resultados médicos que até esqueci de dar à doutora o meu número de telefone”, lembra.

Quando o resultado do exame saiu e revelou lesões pré-cancerosas, a médica de Irina teve de achá-la pelas redes sociais. O esforço valeu a pena. Num intervalo de semanas, Irina passou por uma cirurgia para prevenir que as lesões piorassem e se transformassem num câncer.

Fatal, mas evitável

O câncer do colo de útero é extremamente fatal. Globalmente, a taxa de mortalidade para a doença é de 52%. O problema também é extremamente comum — ele é o quarto tipo de câncer diagnosticado com maior frequência entre as mulheres.

Na Moldávia, uma mulher é diagnosticada com câncer de colo de útero quase todos os dias. E a cada três dias, uma mulher morre por causa da doença.

No entanto, a ampla maioria dessas mortes poderia ser prevenida com esforços simples de exame e vacinação. As lesões podem ser facilmente tratadas quando identificadas em estado pré-canceroso. As chances de sobrevivência também são mais altas quando o tumor é diagnostico em estágios iniciais.

Globalmente, o câncer de colo de útero é o quarto mais diagnosticado entre as mulheres. Foto: UNFPA/Dan Gutu

Globalmente, o câncer de colo de útero é o quarto mais diagnosticado entre as mulheres. Foto: UNFPA/Dan Gutu

Mas muitas mulheres não conhecem os exames para o câncer de colo de útero ou têm dificuldades em acessá-lo. De acordo com um novo estudo do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), esses testes chegam a apenas cerca de 40% das mulheres da Moldávia.

Desde 2013, o UNFPA tem trabalhado com o governo e outros parceiros para fortalecer medidas de prevenção do câncer de colo de útero, incluindo por meio do treinamento de médicos da família, como a de Irina. A capacitação orienta os profissionais a realizar os exames. O fundo da ONU também ajudou a fornecer equipamentos modernos para laboratórios.

Ampliando a prevenção

Atualmente, a Moldávia implementa um programa abrangente de prevenção da doença, que visa reduzir a ocorrência do câncer de colo de útero em 20% até 2025. A iniciativa é fruto de uma parceria do governo com o UNFPA, a Agência Suíça para Desenvolvimento e Cooperação, a Agência Romena para o Desenvolvimento Internacional, a Associação Internacional de Prevenção do Câncer de Colo de Útero e a Organização Mundial da Saúde (OMS).

Inauguração do Centro Nacional de Referência de Colposcopia, em Chisinau, capital da Moldávia. Foto: UNFPA/Dan Gutu

Inauguração do Centro Nacional de Referência de Colposcopia, em Chisinau, capital da Moldávia. Foto: UNFPA/Dan Gutu

O projeto vai ampliar as capacidades de profissionais de saúde oferecerem serviços de testagem. Também será criado um registro eletrônico de exames para melhorar a coleta e monitoramento de dados. Outra frente de atuação será o aumento da cobertura vacinal contra o papilomavírus humano (HPV) — a principal causa do câncer de colo de útero. Os parceiros preveem ainda esforços de conscientização, a fim de expandir o uso desses serviços de saúde.

Em janeiro último, foi inaugurado o Centro Nacional de Referência de Colposcopia, em Chisinau, capital da Moldávia, com o apoio do UNFPA e da Embaixada do Japão no país. A instituição vai coordenar as colposcopias — um exame para o câncer de colo de útero — em todo o país.

Um chamado para as mulheres

Irina é gerente de vendas e mãe de três filhos. A sua vida é agitada e cheia de compromissos. Mesmo assim, ela sempre achou tempo para ver a sua médica da família uma vez por ano. Após bater de frente com o risco de câncer, ela começou a aconselhar suas amigas a fazer o mesmo.

“Vendo o meu exemplo, todas as minhas amigas foram urgentemente ao médico. Algumas delas descobriram que tinham problemas sérios de saúde e conseguiram tratá-los”, lembra Irina, que quer que todas as mulheres tomem as mesmas precauções.

“Peço que todas as mulheres façam uma checagem com o seu médico da família com a maior frequência possível. Quando uma mãe está saudável, a família toda fica saudável. Não temos que ter medo. Quanto mais tarde o diagnóstico, menor é a chance de um tratamento bem-sucedido.”


Comente

comentários