Fundo de População da ONU alerta que 214 milhões de mulheres não têm acesso a planejamento familiar

AUMENTAR LETRA DIMINUIR LETRA

Neste 11 de julho, Dia Mundial da População, o Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) lembra que investir em planejamento familiar traz mais saúde, bem-estar e empoderamento para as mulheres. Em países em desenvolvimento, 214 milhões de mulheres não têm acesso a meios para decidir quantos e quando ter filhos.

Mulheres grávidas em centro de atendimento nas Filipinas. Foto: UNFPA

Mulheres grávidas em centro de atendimento nas Filipinas. Foto: UNFPA

Cerca de 214 milhões de mulheres em países em desenvolvimento não têm acesso a planejamento familiar, afirmou nesta quarta-feira (11), Dia Mundial da População, a chefe do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA), Natalia Kanem. Problema é causado por falta de serviços, de informação e de apoio dos parceiros e comunidades.

“Há 50 anos, o mundo declarou que ‘pais têm o direito humano básico de determinar de forma livre e responsável, o número e o intervalo (entre as gestações) de seus filhos’, na Conferência Internacional de Direitos Humanos das Nações Unidas, em Teerã, no dia 13 de maio de 1968”, lembrou a dirigente.

Segundo Kanem, o planejamento familiar “é fundamental para o empoderamento das mulheres, para a redução de pobreza e para alcançar o desenvolvimento sustentável”.

O UNFPA apoia as nações em desenvolvimento assegurando o fornecimento confiável de uma ampla gama de métodos contraceptivos, fortalecendo os sistemas nacionais de saúde e promovendo a igualdade de gênero. “Mas, não podemos fazer isso sozinhos”, ressaltou a chefe da agência da ONU sobre o atendimento às necessidades das mulheres.

“Os governos, parlamentares, setor privado e sociedade civil devem juntar forças para que isso aconteça. Para começar, países desenvolvidos poderiam acabar com a lacuna global de financiamento do planejamento familiar se investissem apenas 20 centavos por pessoa por ano”, explicou Kanem.

De acordo com a especialista, esses recursos vindos das economias ricas trariam retornos positivos para famílias, sociedades e nações inteiras. Portanto, trata-se de um investimento “estratégico e exequível no futuro do mundo”, bem como na saúde e no bem-estar das mulheres.

“Neste Dia Mundial da População, o UNFPA convoca todos os governos a cumprir seus compromissos de assegurar o acesso universal aos serviços de saúde sexual e reprodutiva e aos direitos reprodutivos, incluindo os serviços de planejamento familiar e informação, conforme foi acordado na Conferência Internacional sobre População e Desenvolvimento de 1994 e na Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável“, completou a dirigente.


Mais notícias de:

Comente

comentários