Fundo de combate a aids, tuberculose e malária anuncia financiamento adicional de 1,9 bilhão de dólares

O enviado especial das Nações Unidas para o tema da malária, Ray Chambers, destacou nesta quinta-feira (7) o importante impacto que o novo financiamento anunciado pelo Fundo Global de Combate a Aids, Tuberculose e Malária terá na realização dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) até o prazo de 2015.

Na semana passada, o Fundo Global anunciou que até 1,9 bilhão de dólares em recursos adicionais serão disponibilizados imediatamente para 2013 e 2014, salvando potencialmente milhões de vidas.

“Quando se trata de preservar a existência de nossas preciosas crianças em todo o mundo, o Fundo Global é um dos mais importantes investidores, medindo o seu retorno sobre o investimento em vidas salvas”, disse Chambers, Enviado Especial do Secretário-Geral da ONU para a malária desde 2008.

“Peço a todos os doadores com urgência que aumentem canalizem os recursos, de modo que um Fundo global e pleno possa levar-nos a alcançar os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio”, acrescentou, em sua primeira declaração desde que o Secretário-Geral Ban Ki-moon o nomeou também enviado especial sobre financiamento em saúde para os Objetivos do Milênio.

Em seu papel ampliado, Chambers é encarregado de ajudar a aumentar o financiamento dos setores público e privado para atingir os objetivos de redução da mortalidade infantil e materna, HIV/aids, malária, tuberculose e outras doenças até a data prevista de 2015.

Aproximadamente 75 milhões de redes mosquiteiras adicionais tratadas com insecticida serão compradas com parte do novo financiamento, protegendo 150 milhões de pessoas, de acordo com um comunicado de imprensa emitido pelo escritório do Enviado Especial.

Quando adicionadas às atuais 66 milhões redes já programadas para serem distribuídas este ano, a vida de mais de 1 milhão de crianças serão salvas da malária, colocando a meta do Secretário-Geral de diminuir as mortes por malária para perto de zero até o final de 2015.

Um adicional de 1 bilhão de dólares será agora disponibilizado para HIV/aids e outros 200 milhões de dólares para tuberculose, além do financiamento existente.