Fundo das Nações Unidas elogia iniciativa do G8 em relação à saúde materno-infantil

Chefe do UNFPA elogiou decisão dos líderes do G8 em aumentar os esforços para melhorar a saúde materna e de crianças nos países mais pobres.

Diretora Executiva do UNFPA, Thoraya Ahmed Obaid. Foto: ONUA chefe do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) elogiou, no último domingo (27), a decisão dos líderes do G8 – composto pelos sete países mais industrializados e desenvolvidos economicamente do mundo, mais a Rússia – de aumentar os esforços para melhorar a saúde materna e de crianças nos países mais pobres, chamando a atenção do mundo para garantir que mulheres não morram ao dar à luz.

A Iniciativa Muskoka para promover a saúde de mães e crianças foi aprovada por líderes do G8 no último sábado (26) durante sua cúpula na cidade de Muskoka, localizada na província de Ontário, Candadá. “Ainda que o número de mulheres que morrem por causas evitáveis durante a gravidez e o parto pareça estar diminuindo, um grande número de mães ainda morre a cada dia, o que tem um impacto devastador sobre famílias, comunidades e nações”, disse em um comunicado a Diretora Executiva do UNFPA, Thoraya Ahmed Obaid . “Dada a riqueza e tecnologia do século 21, nenhuma mulher deveria morrer enquanto gera vida”.

O Canadá, anfitrião do G8 deste ano e das cúpulas do G20, se comprometeu com U$ 2,85 bilhões durante cinco anos para as iniciativas destinadas a melhorar a saúde materna, de recém-nascidos e infantil. “O UNFPA apoia a ênfase da Iniciativa Muskoka no reforço dos sistemas de saúde, ampliando os serviços de saúde sexual e reprodutiva, incluindo planejamento familiar, abordando a desigualdade de gênero e promovendo os direitos humanos de meninas e mulheres”, disse Obaid.

“Apoiamos a integração dos serviços de saúde, especialmente a integração da saúde sexual e reprodutiva e HIV/AIDS, para alcançar aqueles que precisam. E nós vamos continuar a apoiar a formação dos profissionais de saúde, especialmente das parteiras, para salvar as vidas de mulheres e bebês”. Obaid disse que a Iniciativa Muskoka significava um compromisso renovado com a saúde materna e infantil, e prometeu apoio continuado dos esforços da UNFPA e responsabilização mútua para que se alcance maiores progressos para melhorar a saúde de mulheres e crianças.


Comente

comentários